Yoga e Esporte: quando mente e corpo se encontram.

Capa Yoga

Muito prazer, meu nome é Maira. Quero antes contar da minha alegria por poder estar aqui, falando com você sobre Yoga e Esporte. Sou professora desde de 2016 e em 2017 fui apresentada, ao acaso, à corrida de montanha. E desde então, yoga, corrida e trilha nunca mais saíram da minha vida. Por isso, o que me proponho a trazer são textos que aproximem esses dois universos de práticas distintas a partir das experiências que eu vivencio, sejam no Yoga, sejam nas corridas de montanha. Espero que faça sentido pra você e que possamos usar este espaço para trocar nossas experiências.

Quando falamos em Yoga, muitas pessoas automaticamente o associam ou a fotos de pessoas demonstrando sua flexibilidade ou de pessoas sentadas, meditando. E o fruto dessa associação é, já de saída, um impedimento seja porque nos julgamos inflexíveis, seja porque cientes da nossa agitação, nos julgamos incapazes de aquietarmos nosso corpo e nossa mente. E quando associamos o Yoga às práticas esportivas parece que a dissociação é ainda maior.

Yoga é uma prática milenar que se dedica à busca do auto-conhecimento. E todos nós, atletas amadores ou profissionais sabemos o quão importante é o auto-estudo para que sejamos capazes de desenvolver percepções mais claras acerca de nossas deficiências, nossos medos, nossas potencialidades. Se conhecer é a condição primordial para que sejamos capazes de construir nossa segurança e utilizar nossos treinos para sermos, cada vez mais, melhores dentro daquele esporte que escolhemos.

Embora os elementos da competitividade, da vitória, da derrota e da superação de limites estejam sempre presentes nas modalidades esportivas, se eles não forem bem compreendidos e utilizados para o nosso auto-aprendizado, acabam se tornando um obstáculo ao nosso desempenho.

E é exatamente nesse processo que o Yoga se torna uma ferramenta essencial para nós, praticantes de alguma modalidade esportiva, de alto rendimento ou não. A partir das posturas físicas (asanas) somos capazes de reduzir padrões repetitivos de movimentos e exercitar a concentração na ação que estamos desempenhando (dharana). Estarmos presentes e conscientes nos movimentos que realizamos é fundamental para que consigamos não só aperfeiçoar os movimentos do nosso corpo, como também pouparmos energia. Os pranayamas, que vulgarmente traduzimos por ‘exercícios respiratórios’, nos traz muito mais do que a expansão da nossa capacidade respiratória. Por estar diretamente vinculado aos movimentos de nossa mente (vrittis), a respiração, quando trabalhada de maneira consciente, atua como ferramenta fazendo nossa mente trabalhar a nosso favor. Isso é fundamental no esporte, já que invariavelmente nos vemos imersos em situações de pressão, medo, fadiga física e mental. Por fim, a prática da meditação nos ensina como manter a mente equilibrada apesar de todos esses desafios que o esporte nos impõe e que extrapolam o limite exclusivo da força física.

Por isso que o Yoga pode, e deve, estar muito mais próximo do esporte. Sendo uma jornada ao auto-conhecimento, a prática do Yoga nos ajuda a entender quais são, de fato, nossos limites, mas também nossas potências. E cientes de que somos capazes de controlar apenas nossas ações, e não os resultados gerados por elas, nos tornamos mais leves e mais satisfeitos com aquilo que verdadeiramente somos.

Por se tratar de uma prática ampla, o Yoga pode ser apreendido por diversas linhas de abordagens e metodologias, mas é importante lembrar que sem a experiência prática, nenhum conhecimento pode ser apreendido. Por isso, os textos que você encontrará aqui tratarão de aproximar essa prática milenar do universo específico do trailrun a partir de paralelos que podem e devem ser vividos na prática por nós, dentro e fora da corrida, dentro e fora da montanha.

Sobre Maira Lopes

Maira Lopes é professora de Yoga desde 2016, atleta de trailrun e desenvolve formação e treinamento na área de Yoga e Esporte.