A prova que o Brasil precisa conhecer!

Capa Matões

Por: Valmir Lana Jr.


O nordeste do Brasil vem se mostrando uma grande promessa dentro do cenário Trail, muitas provas com muita qualidade organizacional e variados tipos de trilha. Além disso, o público nordestino tem crescido vertiginosamente e com uma paixão muito grande por correr em trilhas.

São muitos eventos que vem tendo suas vagas esgotadas bem no início das inscrições e isso nos mostra o quanto podemos fazer o trail nacional atingir todas as regiões do Brasil.

No último fim de semana estivemos presente no "Desafio Serra dos Matões" em Pedro II no Piauí, local de uma beleza incrível, uma serra com muita história, cultura e pessoas carismáticas e acolhedoras.

Sem "rasgar seda", vamos a análise do evento como um todo.

A organização presta um serviço de qualidade desde o momento pré-inscrição até o pós evento, isso fica nítido nas "Lives" feitas pela organização, as quais acompanhamos e notamos a preocupação do organizador, Luciano Ushôa, em passar o máximo de informações possíveis para os atletas. Todos os pontos são tratados e esclarecidos e o que percebi é que os atletas da prova participavam das "lives" ativamente, para uma prova que não passa de 250 atletas (limite da prova), haviam mais de 120 (média) pessoas online.

A retirada de kit foi feita na capital, Teresina na quinta-feira e também no condomínio "Serra dos Matões", bem próximo a arena da prova na sexta-feira. Esta forma de trabalhar muito me agrada pois dá oportunidade das pessoas pegarem seus kits com calma.

Devemos destacar o cumprimento dos protocolos estabelecidos para retirar os kits, todos atletas foram devidamente testados contra COVID 19 antes da retirada do kit e felizmente não houve nenhum caso reagente. Palmas e mais palmas para a organização.

O Congresso técnico foi feito na sexta-feira na parte da noite garantindo a informação ampla e sem aglomerações.

A presença de atletas de renome nacional como Sílvia Durigon e Carla Lugaresi abrilhantaram o evento pois aproxima atletas do nordeste e faz com que o nível competitivo fique ainda maior na prova.

O dia da prova

Arena dos 45km e 10km eram no mesmo local com muita estrutura e bem pensada, havia restaurante, locais protegidos do sol, somente poderíamos entrar e permanecer na arena com uso de máscaras e havia banheiros atender os atletas e convidados. O visual era o diferencial, uma vista panorâmica da Serra, realmente fascinante.

A prova tinha largada programada para 10h da manhã e assim partimos para os 45km na certeza de viver um dia feliz nas trilhas piauienses. Dividimos a prova em 3 partes, na primeira até o km 13 a prova foi muito técnica, muita descida com pedras, um verdadeiro teste de fogo para os tornozelos, a progressão era muito difícil e a corrida não era fácil mesmo para os mais experientes.

Apesar de não ser uma prova com muito ganho altimétrico em comparação com outras provas com a mesma distância, não se engane, a prova não será tão rápida quanto se espera... o nível técnico, no geral, a coloca, em nossa visão, entre as 5 mais técnicas do Brasil facilmente.

A passagem pelo "Apertado da hora", uma espécie de fenda na montanha me lembrou muito a famosa "Table Mountain" em Cape Town, África do Sul, claro que a subida não é tão grande, porém é muito mais técnica, teve trecho que tive que abraçar a pedra para me jogar para cima. Um momento que guardarei na memória por muito tempo.

Corremos pelo topo da montanha, bem próximo ao precipício, mas sem risco algum, somente o visual a perder de vista.

O posto de controle do Km 21 era a linha de chegada dos 21km e uma base para os 45km, creio que foi o ponto que salvou muitas pessoas, pelo menos eu fui salvo pela água geladinha, coca cola e um chuveiro para me refrescar do sol de 38º. A partir daí corremos muito, subimos muito e descemos bastante por trilhas variadas e por povoados como o do "Fundão" que hoje todos moradores foram retirados pois o acesso era muito difícil e inviável para atendimentos, por exemplo.

Os últimos kms da prova, após os 30km nós descemos toda a montanha e por volta do km 40 subimos para a chegada, uma subida menos inclinada, mais longa e que permitia, a quem ainda tinha perna, correr e fechar com chave de ouro.

Uma das marcas da prova é o trabalho cultural feito pela organização, são mais de 40 artistas no percurso mostrando a cultura piauiense, entretendo os atletas e os conectando com o local de uma forma fantástica e que nos impulsiona a continuar na trilha a espera da próxima atração. Neste quesito merece reverências, foi realmente fantástico ver tanto capricho e tantos artistas talentosos durante o percurso.

As premiações foram feitas assim que se completavam os pódios gerais e de categorias evitando aglomerações e dando agilidade ao evento.

Outro ponto que deve ser ressaltado é o número de fotógrafos estrategicamente espalhados no percurso para que o atleta tenha o registro deste momento tão singular de seu desafio e sua conquista.

Único ponto que pra mim não foi bom é o horário da largada, mas isso é uma coisa pessoal e que nada interferiu no andamento do evento e lembro que o calor que fez no dia é demasiado para mim, Valmir Lana, mas sei que isto é somente mais um ingrediente da prova e nunca irei reclamar ou fugir disso, afinal eu vivo o trail na sua amplitude e com o pacote completo, esse é o espírito.

Considerações finais

Um evento de primeira qualidade organizacional, com muita atenção aos protocolos de segurança, pontos de apoio suficientes para você fazer uma grande prova, muito carinho e cuidado com cada atleta, realmente um evento diferenciado e que vemos em cada atleta a satisfação de estar ali, de viver aquele momento, todos da organização trabalham felizes, me impressionou muito ver isso novamente, pois já tinha vivenciado isso em dezembro de 2020 no "Desafio Delta do Parnaíba" e sinto uma gratidão muito grande de ter feito parte novamente destes momentos.

Evento: Desafio Serra dos Matões
Distâncias: 45k, 21k e 10k
Local: Pedro II, Piauí
Organização: Luca Eventos.

Regulamento da Super Copa Trail 2021 – by Revista Trail Running

Regulamento Super Copa Trail

A “Super Copa Trail” será realizada em território Nacional nas modalidades Assessoria/Treinador, Grupos de Atletas, Equipe de Performance e Individual. As disputas serão definidas por livre competição com ranking Nacional e Regional, adulto e juvenil, tanto para atletas do sexo masculino quanto feminino.

1.Rankings:

Art. 1º: Haverá somente um ranking para todas as distâncias, onde a disputa seguirá as seguintes regras:

Parágrafo 1. Haverão quatro rankings nacionais, por equipes de performance, assessorias/treinador, grupos de atletas e individual, sendo que o individual se dividirá em Adulto e Juvenil e em cada um serão premiados atletas masculinos e femininos.

Parágrafo 2. Os Rankings Nacionais serão os principais e deles serão extraídos os todos os outros resultados de ranking.

Parágrafo 3. Haverão, ainda, os rankings Regionais, equipes de performance, assessorias/treinador, grupos de atletas e individual, sendo que o individual se dividirá em Adulto e Juvenil e em cada um serão premiados atletas masculinos e femininos.

Parágrafo 4. As equipes de performance, assessorias/treinador, grupos de atletas e atletas individuais poderão se cadastrar na Super Copa Trail a qualquer tempo, sendo certo que sua pontuação, bem como sua classificação no ranking somente será válida após o pagamento da taxa anual de filiação pertinente dos atletas.

Parágrafo 5. Os atletas deverão efetuar o pagamento da taxa até o último dia do mês de novembro de 2021 para que seus resultados anteriores ao pagamento sejam validados, após esta data, os atletas que efetuarem o pagamento somente terão os resultados válidos e aplicados no ranking a partir da data do pagamento da taxa.

1.1 Ranking – Assessorias e treinadores

Art. 2º: Toda assessoria e treinadores poderão se habilitar para a Super Copa Trail preenchendo o formulário constante no site da Revista Trail Running (https://www.rtrailrunning.com.br/cadastro-assessorias/).

Parágrafo 1. Qualquer Assessoria/treinador poderá se cadastrar desde que tenha no mínimo 2 atletas habilitados no site da Revista Trail Running. As Assessoria/treinador não terão limite de atletas.

Parágrafo 2. Todo atleta, para se habilitar na Super Copa Trail Trail, deverá se cadastrar e pagar a taxa anual de filiação, ou se tornar assinante da Revista Trail Running.

Parágrafo 3. Toda equipe habilitada formalmente na Super Copa Trail terá um cupom¹ exclusivo para que seus atletas possam se tornar ASSINANTES da Revista Trail Running.

Parágrafo 4. Os atletas somente poderão correr por uma Assessoria/treinador durante o ano, sendo que a janela para mudança de Assessoria/treinador se dará entre os dias 16/12 a 16/01 de cada ano.

Parágrafo 5. O atleta que sair de uma Assessoria/treinador no decorrer do ano desfalcará sua Assessoria/treinador e não poderá somar pontos para uma nova Assessoria/treinador, seus resultados e pontos somente valerão para a premiação individual, equipe de performance e/ou para seu e para sua Assessoria/treinador caso permaneça nele.

Nota 1: O cupom somente será válido para nova ASSINATURA, não será válido para o atleta que quiser pagar somente a taxa anual de filiação.

Art. 3º: A classificação do Ranking por Assessoria/treinador NACIONAL será obtida através da pontuação dos atletas de cada Assessoria/treinador (masculino/feminino) independente da distância, ressalvado o peso de cada faixa de distância.

Art. 4º: A classificação do Ranking por Assessoria/treinador REGIONAL será obtida através da pontuação dos atletas de cada Assessoria/treinador (masculino/feminino) independente da distância, ressalvado o peso de cada faixa de distância.

Parágrafo único: Sendo certo que as Assessoria/treinador poderão competir e somar pontos em provas em todas as regiões do Brasil, entretanto, o ranking Regional será somente entre Assessoria/treinador da região onde a assessoria tem sede.

Ex. Assessoria/treinador da Região Norte competem no ranking da Região Norte, enquanto Assessoria/treinador da Região Sudeste competem com Assessorias/treinadores da Região Sudeste.

Art. 5º: Serão premiadas as 10 (dez) melhores Assessoria/treinador do Ranking Nacional.

Art. 6º Serão premiadas 3 (três) Assessoria/treinador do Ranking Regional.

OBS. Será disponibilizado VIRTUALMENTE as 10 (dez) melhores Assessorias/Treinadores de cada Estado, entretanto, não haverá premiação presencial.

1.2 Ranking – Grupos de Atletas

Art. 7º: Todo Grupo de Atleta poderá se habilitar para a Super Copa Trail preenchendo o formulário constante no site da Revista Trail Running (www.rtrailrunning.com.br).

Parágrafo 1. Qualquer Grupo de Atleta poderá se cadastrar desde que tenha no mínimo 2 atletas habilitados no site da Revista Trail Running. Os Grupos de Atletas não terão limite de atletas.

Parágrafo 2. Todo atleta, para se habilitar na Super Copa Trail Trail, deverá se cadastrar e pagar a taxa anual de filiação, ou se tornar assinante da Revista Trail Running.

Parágrafo 3. Todo Grupo de Atleta habilitado formalmente na Super Copa Trail terá um cupom¹ exclusivo para que seus atletas possam se tornar ASSINANTES da Revista Trail Running.

Parágrafo 4. Os atletas somente poderão correr por um “Grupo de Atleta” durante o ano, sendo que a janela para mudança de Equipe se dará entre os dias 16/12 a 16/01 de cada ano.

Parágrafo 5. O atleta que sair de um Grupo de Atleta no decorrer do ano desfalcará seu Grupo de Atleta e não poderá somar pontos para uma novo Grupo de Atleta, seus resultados e pontos somente valerão para a premiação individual, equipe de performance e/ou para sua Assessoria/treinador caso permaneça nela.

Nota 1: O cupom somente será válido para nova ASSINATURA, não será válido para o atleta que quiser pagar somente a taxa anual de filiação.

Nota 2: O atleta somente precisará pagar a taxa de filiação uma única vez para participar de todos os rankings da Super Copa, exceto o ranking exclusivo para assinantes da Revista Trail Running.

Art. 8º: A classificação do Ranking por Grupo de Atleta NACIONAL será obtida através da pontuação dos atletas de cada Grupo de Atleta (masculino/feminino) independente da distância, ressalvado o peso de cada faixa de distância.

Art. 9º: A classificação do Ranking por Grupo de Atleta REGIONAL será obtida através da pontuação dos atletas de cada Grupo de Atleta (masculino/feminino) independente da distância, ressalvado o peso de cada faixa de distância.

Parágrafo único: Sendo certo que os Grupos de Atletas poderão competir e somar pontos em provas em todas as regiões do Brasil, entretanto, o ranking Regional será somente entre Grupos de Atletas da região específica.

Ex. Grupos de Atletas da Região Norte competem no ranking da Região Norte, enquanto Grupos de Atletas da Região Sudeste competem com Grupos de Atletas da Região Sudeste.

Art. 10º: Serão premiados os 10 (dez) melhores Grupos de Atletas do Ranking Nacional.

Art. 11º Serão premiados os 3 (três) Grupos de Atleta do Ranking Regional.

OBS. Será disponibilizado VIRTUALMENTE os 10 (dez) melhores Grupos de Atletas de cada Estado, entretanto, não haverá premiação presencial.

1.3 Ranking – Equipes Performance

Art. 12º: Toda equipe poderá se habilitar para a Super Copa Trail preenchendo o formulário constante no site da Revista Trail Running (https://www.rtrailrunning.com.br/cadastro-equipes/).

Parágrafo 1. Qualquer Equipe poderá se cadastrar desde que tenha no mínimo 2 atletas habilitados no site da Revista Trail Running.

As Equipes terão limite máximo de 10 atletas, entre homens e mulheres.

Parágrafo 2. Todo atleta, para se habilitar na Super Copa Trail Trail, deverá se cadastrar e pagar a taxa anual de filiação, ou se tornar assinante da Revista Trail Running.

Parágrafo 3. Toda equipe habilitada formalmente na Super Copa Trail terá um cupom¹ exclusivo para que seus atletas possam se tornar ASSINANTES da Revista Trail Running.

Parágrafo 4. Os atletas somente poderão correr por uma Equipe durante o ano, sendo que a janela para mudança de Equipe se dará entre os dias 16/12 a 6/01 de cada ano.

Parágrafo 5. O atleta que sair de uma Equipe no decorrer do ano desfalcará sua equipe e não poderá somar pontos para uma nova Equipe, seus resultados e pontos somente valerão para a premiação individual e para sua Assessoria/treinador caso permaneça nela.

Nota 1: O cupom somente será válido para nova ASSINATURA, não será válido para o atleta que quiser pagar somente a taxa anual de filiação.

Nota 2: O atleta somente precisará pagar a taxa de filiação uma única vez para participar de todos os rankings da Super Copa, exceto o ranking exclusivo para assinantes da Revista Trail Running.

Art. 13º: A classificação do Ranking por equipes de performance NACIONAL será obtida através da pontuação dos atletas de cada Equipe de performance (masculino/feminino) independente da distância, ressalvado o peso de cada faixa de distância.

Art. 14º: A classificação do Ranking por Equipe de performance REGIONAL será obtida através da pontuação dos atletas de cada equipe (masculino/feminino) independente da distância, ressalvado o peso de cada faixa de distância.

Parágrafo único: Sendo certo que as Equipes de performance poderão competir e somar pontos em provas em todas as regiões do Brasil, entretanto, o ranking Regional será somente entre Equipes de performance da região específica.

Ex. Equipes da Região Norte competem no ranking da Região Norte, enquanto Equipes da Região Sudeste competem com Equipes da Região Sudeste.

Art. 15º: Serão premiadas as 5 (cinco) melhores Equipes do Ranking Nacional.

Art. 16º Será premiada 1 (uma) Equipe do Ranking Regional.

OBS. Será disponibilizado VIRTUALMENTE as 10 (cinco) melhores Equipes de Performance de cada Estado, entretanto, não haverá premiação presencial.

1.3 Ranking EXCLUSIVO ASSINANTES DA REVISTA TRAIL RUNNING

Art. 17º: Haverá um ranking exclusivo para assinantes da Revista Trail Running com premiação dos 10 melhores atletas masculinos e femininos a nível nacional e dos 5 melhores atletas masculinos e femininos em cada região do Brasil.

Parágrafo 1. Para participar do Ranking EXCLUSIVO DE ASSINANTES DA REVISTA TRAIL RUNNING Os atletas deverão efetuar o pagamento da ASSINATURA até o último dia do mês de NOVEMBRO de 2021 para que seus resultados anteriores ao pagamento sejam validados, após esta data, os atletas que efetuarem o pagamento somente terão os resultados válidos e aplicados no ranking a partir da data do pagamento da taxa.

1.4 Ranking – Individual

Art. 18º: Todo atleta para se habilitar na Super Copa Trail deverá se cadastrar e pagar a taxa anual de filiação, ou se tornar assinante da Revista Trail Running.

Parágrafo único: Pessoas que já sejam assinantes da Revista Trail Running, antes do lançamento da Super Copa Trail estarão, automaticamente, habilitas para as disputas, entretanto, caso a pessoa queira integrar alguma assessoria/treinador, Grupo de Atleta ou Equipe de Performance, ela deverá entrar em contato com a Revista Trail Running pelo email ([email protected]) e solicitar a inclusão da assessoria/treinador, Grupo de Atleta e Equipe de Performance em seu cadastro.

Art. 19º: A classificação do Ranking individual NACIONAL será obtida através da pontuação nas provas da Super Copa independente da distância, ressalvado o peso de cada faixa de distância.

Art. 20º: A classificação do Ranking individual REGIONAL será obtida através da pontuação nas provas da Super Copa, independente da distância, ressalvado o peso de cada faixa de distância.

Art. 21º: A classificação será dividida por sexo, masculino e feminino.

Art. 22º: Serão premiados os 10 melhores atletas Nacionais masculinos e femininos.

Art. 23º: Serão premiados os 5 (cinco) melhores atletas de cada região do Brasil (masc/fem).

OBS. Será disponibilizado VIRTUALMENTE os 10 (dez) melhores Atletas (masc/fem) de cada Estado, entretanto, não haverá premiação presencial.

Parágrafo 1: Serão premiados, ainda, os 3 melhores atletas masculinos e femininos de cada categoria de idade no Ranking Nacional.

Parágrafo 2: CATEGORIAS DE IDADE

  • 1- Menores de 23 anos (juvenil) – Categoria à parte;
  • 2- 24 a 35 anos;
  • 3- 36 a 45 anos;
  • 4- 46 a 55 anos;
  • 5- 56 a 65 anos;
  • 6- acima de 65 anos.

Art. 24º: Haverá premiação dos 3 melhores atletas de cada Região do Brasil masculino e feminino.

Art. 25º: Haverá classificação específica para atletas juvenis.

Parágrafo único. Considera-se juvenil o atleta masculino e feminino menor de 23 anos até a data da última competição da Super Copa.

Art. 26º: Serão premiados os 5 primeiros atletas juvenis Nacionais masculinos e femininos.

Art. 27º Haverá premiação do melhor atleta juvenil de cada Região do Brasil masculino e feminino.

OBS. Será disponibilizado VIRTUALMENTE os 5 (cinco) melhores Atletas Juvenis de cada Estado, entretanto, não haverá premiação presencial.

  1. Competições duplas, trios e quartetos.

Art. 28º: As competições que tiverem disputas com duplas ou mais pessoas, estes pontuaram para suas assessorias e equipes normalmente desde que os atletas participantes sejam da mesma equipe ou assessoria. Caso os atletas sejam de equipes ou assessorias diferentes, não serão creditados pontos para nenhuma das assessorias grupos ou equipes.

Art. 29º: Os atletas que competirem em duplas ou maior número de atletas pontuarão normalmente no ranking individual, desde que TODOS tenham feito o percurso inteiro, caso seja em revezamento, os atletas pontuarão com o peso das faixas de distâncias correspondente a distância executada.

3.Pontuação e pesos das faixas de distâncias.

3.1. Pontuação:

Art. 30º: A Super Copa Trail “by” Revista Trail Running distribuirá pontos para todos atletas FINISHERS em todas as provas da Super Copa (masc/fem) como segue:

1º = 50 pontos;
2º = 45 pontos;
3º = 40 pontos;
4º = 35 pontos;
5º = 30 pontos;
6º = 25 pontos;
7º = 20 pontos;
8º = 18 pontos;
9º = 16 pontos;
10º = 14 pontos;
11º = 12 pontos;
12º = 10 pontos;
13º = 8 pontos;
14º = 7 pontos;
15º = 6 pontos;
16º = 5 pontos;
17º = 4 pontos;
18º = 3 pontos;
19 = 2 pontos;
20º em diante = 1 ponto.

3.2 Pesos por faixas de distâncias.

Art. 31º: As distâncias das provas terão diferentes pesos para cada faixa de distâncias.

Parágrafo 1: O intuito em adotarmos o sistema de pesos é pelo fato de um atleta que corre distâncias menores ter condições de participar de um número de provas muito maior que um atleta que corre uma distância mais larga como 100km ou 160km. Enquanto um atleta de 10km ou 21km poderia correr praticamente todo fim de semana, um atleta que corre uma prova de 160km correrá no máximo 4 provas no ano.

Art. 32º: Os pontos conquistados por cada atleta em sua classificação serão multiplicados pelo valor do peso de sua faixa de distância e este será o valor que constará em todos os rankings, seja por equipes ou individual.

    • Até 21km – peso 1;
    • Entre 22km até 49km – peso 2;
    • Entre 50km até 99km – peso 3;
    • Acima de 100km – peso 4.

Parágrafo 1: Não será considerado para efeito de “peso por faixa de distância” o quilômetro/esforço – que é o cálculo feito entre a relação distância e ganho/perda de altimetria.

Parágrafo 2: A distância a ser considerada para efeito e aplicação dos “pesos por faixa de distância” será o divulgado oficialmente pela organização da prova, sendo descartado qualquer prova em contrário oferecida por um ou mais atletas, mesmo que por associações, grupos de atletas ou assessorias esportivas.

  1. Organizadores e eventos da Super Copa 2021

Art. 33º: Os eventos participantes da Super Copa Trail serão aqueles realizados por organizadores registrados previamente e que obedeçam a seleção em qualidade organizacional, percursos e estrutura.

Art. 34º: Fazem parte da Super Copa Trail as seguintes organizações: (SUJEITO A MUDANÇAS)

  • Ultra do Céu
  • KTR (Kailash Trail Run)
  • La Misión Brasil
  • WTR (Serra do Mar e Arraial do Cabo)
  • Camelbak Mountain Race
  • Indomit (Mantiqueira, Pedra do Baú, Serra da Mantiqueira)
  • XC Run (Búzios e Itaipava)
  • Desafio das Serras (Brasil, Ultra)
  • Circuito das Serras
  • UT Eventos (Jaraguá SkyMarathon, Extreme Winter, Odisseia Ultra e Rota das Águas)
  • Ultramaratona dos Perdidos
  • Xtreme Run Gramado
  • Evolution
  • Pedra grande Ultra Trail
  • Mountain Do (Costão do Santinho, Lagoa da Conceição, Fernando de Noronha)
  • Run Brasil Ride
  • Insanity (Mestre Álvaro, Buenos Aires, Polenta Off Road, Venda Nova)
  • Mons Ultra Trail
  • Ladeiras da Penha
  • Xterra Brasil (Estrada Real, Costa Verde e Búzios)
  • UltraMacho (Senta a Púa, Vale das Águas, Águas do Cerrado, Toroari e Rondonópolis)
  • Desafio das Serras Off Road (Monte das Gameleiras, Bananeiras, Bonito e Fernando de Noronha)
  • Desafio Serra dos Matões
  • To Goal (Circuito trilha e praia (4 etapas), Desafio espírito do guerreiro da selva, Viva+ Trail Run e Ultra Trail Amazônica)
  • Desafio Delta do Parnaíba
  • Desafio Raiz Tapera
  • Beach Run
  • Gantuá (Gantuá e Ultra Trail Chapada Diamantina)
  • Forrest Run
  • Desafio Serra da Bodoquena
  • Bocaina Park Trail
  • Horizontes SkyRace
  • Desafio Loucos por Trail

Art. 35º: As datas e regulamentos são de encargo de cada evento.

Art. 36º: Assinantes da Revista Trail Running têm descontos exclusivos em todas etapas de quaisquer eventos acima citados, basta, para tanto, requisitar seu cupom no site da própria Revista Trail Running no endereço (www.rtrailrunning.com.br/eventos).

  1. Do Vale Dourado.

Art. 37: Os campeões gerais (masc/fem) de percursos acima de 30km em qualquer prova da Super Copa Trail terão o “Vale Dourado”.

Parágrafo único: O “Vale Dourado” é o direito imediato a uma vaga na Cambotas Marathon, independente de classificação nos Rankings da Super Copa Trail, a se realizar entre os dias 15 e 18 de dezembro de 2021.

Ex. Na “Mons Ultra Trail”: as distâncias de 55k, 85k e 104k darão vagas para os campeões (masc/fem).

Ex 2: A “Insanity Mestre Álvaro” 30k dá vaga para os campeões (masc/fem).

  1. Cambotas Marathon

Art. 38: O Evento Cambotas Marathon será realizado na cidade de Barão dos Cocais, em Minas Gerais, entre os dias 15 e 18 de dezembro de 2021. Trata-se de um percurso único de 45km com características de Montanha, o terreno por ser muito técnico e por ter uma relação distância/ganho de elevação muito acentuado se apresentará como uma chave de ouro da Super Copa Trail.

Parágrafo único: Para os atletas juvenis haverá o percurso de 21km onde somente estes poderão competir.

6.1 Como participar

Art. 39. As 25 melhores Assessorias/Treinadores da Super Copa Trail estarão classificadas e cada Assessorias/Treinadores terá direito a inscrever 3 (três) atletas masculinos e 3 (três) atletas femininos, desde que tenham participado da Super Copa Trail e não tenham corrido por outra Assessorias/Treinadores no ano vigente.

Art. 40. Os 25 melhores Grupos de Atletas da Super Copa Trail estarão classificadas e cada Grupo de Atleta terá direito a inscrever 3 (três) atletas masculinos e 3 (três) atletas femininos, desde que tenham participado da Super Copa Trail e não tenham corrido por outro Grupo de Atleta no ano vigente.

Art 41. As 25 melhores Equipes de Performance da Super Copa Trail estarão classificadas e cada Equipe terá direito a inscrever 3 (três) atletas masculinos e 3 (três) atletas femininos, desde que tenham participado da Super Copa Trail e não tenham corrido por outra Equipe no ano vigente.

Parágrafo 1º: Não será necessário que os atletas sejam os maiores pontuantes da Assessorias/Treinadores ou Equipes, eles poderão ser selecionados de acordo com os critérios de cada Assessoria/treinador ou Equipe.

Parágrafo 2º: Caso algum atleta da equipe de performance inscrito na Cambotas Marathon não possa comparecer, o chefe da equipe deverá indicar substituto até o último dia de novembro de 2021, o atleta indicado deverá estar inscrito na Super Copa Trail, mas não necessariamente precisa fazer parte da equipe de competição. Caso o substituto não faça parte da equipe de performance, seus pontos, em hipótese nenhuma, serão contados para a equipe, ele meramente poderá competir a Cambotas Marathon no lugar do atleta indicado inicialmente pela equipe de performance.

Art. 42. Com o intuito de ampliar a participação de atletas juvenis, será admitida a inscrição e participação de atletas que não tenham participado da Super Copa Trail.

Art. 43. O atleta juvenil que se classificar no ranking adulto poderá abrir mão de participar da prova juvenil e competir na prova adulto desde que seja maior de idade no sentido legal. Esta decisão deverá ser comunicada a organização com no mínimo 30 dias de antecedência.

Art. 44. Os 50 primeiros atletas da classificação geral (masculino e feminino) terão vaga garantida na final na Cambotas Marathon em Barão dos Cocais.

Parágrafo único: Caso algum atleta da lista dos 50 primeiros já tenham sua vaga no evento por conta de sua Assessoria/Treinador, Grupo de Atleta ou equipe o ter escalado, serão chamados os próximos da classificação até que se completem as vagas.

Art. 45. Os 10 primeiros atletas (ASSINANTES DA REVISTA) da classificação geral (masculino e feminino) terão vaga garantida na final na Cambotas Marathon em Barão dos Cocais.

Parágrafo único: Caso algum atleta (ASSINANTES DA REVISTA) da lista dos 10 primeiros já tenham sua vaga no evento por conta de qualquer outra escalação, serão chamados os próximos da classificação até que se completem as vagas.

Art. 46. Serão reservadas 50 vagas para atletas de elite (masculino e feminino) independente de participação no Ranking.

Parágrafo único: Considera-se atleta de elite os atletas com os seguintes pontos ITRA:

    • Masculino: 700 pts
    • Feminino: 600 pts

Art. 47. Atletas, comprovadamente, residentes nas cidades do entorno da Serra de Cambotas como, Catas Altas, Barão de Cocais e Santa Bárbara, terão até 20 (vinte) vagas na Cambotas Marathon.

Parágrafo único: caso tenha mais de 20 intenções de participação, haverá sorteio das vagas.

A eleição de melhores do ano da RTR Awards será feita em paralelo e a premiação realizada no mesmo evento de premiação da Super Copa Trail.

 

Adeus a Emma Roca

Emma Roca

Emma Roca, pioneira dos esportes de aventura e trilha na Espanha, faleceu hoje, aos 48 anos, vítima de um câncer diagnosticado em 2018. Emma lutou até o fim para vencer a doença, como fez em suas competições, com aquele desejo e atitude positiva que o caracterizava e que admirávamos.

Emma, ​​muito mais do que uma corredora, foi uma pioneira do ponto de vista esportivo e uma pioneira na pesquisa. Formada em bioquímica, doutora em Engenharia Biomédica e atleta de resistência e cofundadora de diversas empresas ligadas ao esporte e à saúde, tem sido uma das pessoas que mais lutou pela saúde desse esporte e por aquele de seus colegas atletas.

“No fim de 2018, fui diagnosticada com líquen escleroso* em meus lábios vulvar por meio de uma biópsia. Fui tratada com cremes corticosteroides até que, no início de 2020, os cremes não faziam nada por mim e tudo o que prescreviam piorava minha pele vulvar, a dor era tão grande que me deixava imóvel na cama por semanas.”

Emma foi uma das mais vitoriosas atletas espanholas de todos os tempos, abaixo alguns de seus resultados:

  • 2ª Trofeo Kima; 2ª Campeonato Espanhol de Trail, Campeã de Leadville 100 miles 2014, Campeã de Penyagolosa, duas vezes 3ª colocada no UTMB.

Somos eternamente gratos. Adeus Emma, ​​descanse em paz

Primeira Artificial Mountain Trail World Championship

Capa One Hundred

Faltam exatos 15 dias para algo sem precedentes acontecer no mundo Trail e graças a “One Hundred”.

Entre os dias 25 e 27 de junho será realizado o primeiro Campeonato mundial de Mountain Trail Artificial (Artificial Mountain Trail World Championship).

Entenda que não estamos falando de, meramente, uma corrida virtual, a qual já estamos familiarizados. A Artificial Mountain Trail é uma corrida onde as pessoas utilizam um “app” com Inteligência Artificial (IA) que possibilita os competidores correrem em qualquer lugar do planeta terra em condições iguais com todos.

Um exemplo: você se cadastra para correr as 100 milhas, nesta modalidade o atleta deve percorrer o equivalente a 160km com 8000m D+. Se o percurso que você for correr tiver menos de 8000m D+, o “app” dirá que você precisa correr alguns quilômetros a mais para completar o desafio, ou o contrário, se passar de 8000m D+, você correrá um pouco menos.

Mas toda esta leitura é feita instantaneamente pelo “app”, ou seja, você sempre saberá quanto ainda precisa correr e em que lugar no ranking mundial você está naquele momento. Isso é algo realmente inovador e único no nosso mundo.

João Andrade, CEO da One Hundred, nos concedeu uma entrevista em nosso canal do Youtube e também está disponível em Podcast, onde ele fala especificamente de todos os detalhes deste evento singular.

Tudo isso foi possível de acontecer tendo em vista a parceria da One Hundred com uma empresa americana de tecnologia, IDERU, que desenvolveu uma tecnologia que cria a sua assinatura de movimento, o que impossibilita a fraude na competição, ou seja, o IDERU reconhece o seu tipo de passada e, caso alguém pegue carona, ou mesmo coloque outro para correr em seu lugar, a IA identificará e o Diretor de prova tomará a decisão de punir ou não o atleta. João Andrade deixa bem claro que a IA somente detecta a possível fraude e que o Diretor de prova que tomará a decisão, sempre!

O evento compreende quatro distâncias: 10 milhas (16km com + 1.000m), 25 milhas (40km com + 2.000m), 50 milhas (80km com + 4.000m) e 100 milhas (160km com + 8.000m), todos com prêmios em dinheiro combinados de £ 8.000 para vencedores masculinos e femininos e dependendo da distância até o 3º e 5º lugares. Na prova de 100 milhas, João Andrade nos disse que “medalhas de ouro serão entregues a quem terminar abaixo das 25 horas, medalha de prata a quem terminar entre 25 e 35 horas e ainda medalha de bronze a todos os que chegam ao fim da prova entre 35 e 54 horas “.

A competição está com inscrições abertas até 23 de junho e já conta com atletas inscritos de 7 países diferentes! A taxa de inscrição tem um desconto de 30% sobre o preço normal para que mais pessoas se tornem pioneiras e participem da corrida!

Para mais informações e inscrições: CLIQUE AQUI

Posso voltar aos treinos normalmente depois que peguei COVID-19?

Covid 19 Posso voltar?

Por: Fernanda Rizzo


A corrida é uma das atividades físicas mais praticadas no Brasil e promove inúmeros benefícios para a saúde. Praticar corrida imerso na natureza, ou seja, correr em trilhas, pode trazer benefícios adicionais, principalmente para a saúde mental.

Quando precisamos interromper os treinos, no caso, por causa do COVID-19, temos que tomar alguns cuidados durante o retorno.

Os sintomas são parecidos com o de uma gripe, além de sintomas respiratórios e em alguns casos, pode acometer múltiplos órgãos, inclusive lesão cardíaca. Os sintomas variam entre as pessoas e mesmo entre atletas, alguns apresentam sintomas mais graves, enquanto outros não apresentam nenhum sintoma.

O destreinamento reduz as capacidades aeróbicas, força muscular e flexibilidade. A combinação desse destreinamento mais os sintomas pós-viral, por exemplo, síndrome da fadiga, podem dificultar o retorno aos treinos e aumentar o risco de desenvolver lesão.

O QUE DEVO FAZER?

Tenha paciência!!

O recomendado é você realizar uma consulta com médico ou cardiologista do esporte para realizar exames específicos, como ecocardiograma, exames de teste cardiopulmonar e exames de sangue.

Retorne aos treinos de forma gradual e respeitando os sintomas de fadiga, observando o tempo de recuperação entre os treinos e conversando com seu treinador!!

Você deve começar pela caminhada e gradativamente aumentar tempo e pace.

A recuperação pode ser lenta e precisar de acompanhamento médico por um período, cerca de 70 dias, segundo documento desenvolvido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia e Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte. Este documento possui orientações sobre o retorno às atividades físicas após infecção pelo vírus, sem colocar o coração em risco (http://www.medicinadoesporte.org.br/wp-content/uploads/2020/10/POSICIONAMENTO-SOBRE-APP-POS-COVID.pdf).

Siga as orientações do seu médico e bons treinos!!

Covid 19

Diana Bellon na Boi Preto Ultra

Capa Diana Boi Preto

Por: Diana Bellon


Desde que fiquei sabendo desse “Boi Preto” fiquei instigada em conhecer, pensei:

“será que é tudo isso que o povo fala?”

Então, a convite do meu grande amigo e companheiro de presepada, Silvio, fui. Porém ele desistiu e aí acabei entrando em um outro grupo que já estava indo e pra minha felicidade, era o grupo de um cara que sou “fanzona”, Saulo Arruda!

Fui no intuito de conhecer o percurso, já que o meu amigo havia me abandonado, mas como estava com mais dois amigos capixabas, Luciano Papa léguas e Marcelo Zouaim, resolvi acompanhar o Papa léguas.

Quando chegamos no “Fim do mundo” o sol estava quase nascendo, não resisti e aguardamos o fenômeno mais belo da natureza, não tem como descer sem ver o nascer do sol, é simplesmente fantástico.

Quanto ao percurso, eu, nos meus 6 anos e meio de ultramaratona,

NUNCA FIZ ALGO TÃO DESAFIADOR E DIFÍCIL,

na mesma proporção que você sobe, você desce, porém, o terreno não permite que você desenvolva a corrida pois é muita pedra solta, areia e escalada!

Só tenho a dizer que voltaria de novo AGORA e aconselho a quem quiser fazer o percurso completo se prepare, não só fisicamente mas também psicologicamente porque o “trem” é duro!

Depois desses 85km me considero uma verdadeira ultramaratonista de montanha!
Desafie-se vai lá conhecer o “Boi Preto” e depois conta pra gente!


Diana finalizou a Boi Preto Ultra FKT em 17h 10min, se tornando a segunda mulher mais rápida e é a nova detentora do FKT Dupla Mista solo “com apoio”, juntamente com seu parceiro Luciano Papa-Leguas.

Tragédia e Equipamentos

Acidente em prova

Todos nós ficamos assustados e comovidos com a tragédia ocorrida em uma prova na China e não cabe dizermos quem errou e sim relembrarmos e ficarmos atentos em tudo que é preciso para que a sua atividade ao ar livre não se torne um momento de dificuldade a ponto de perdermos o controle e corrermos risco de morte.

Duas coisas precisam ficar muito claras entre nós, corredores de montanha:

  1. O clima na montanha é dinâmico e sempre acontece reviravolta;

  2. Equipamento para frio e chuva são aqueles que salvarão sua vida nestes momentos.

Na tragédia ocorrida na China neste fim de semana pudemos visualizar estas duas coisas acima. O clima subitamente mudou com temperaturas muito baixas, ventos, chuva de granizo e os atletas não estavam com equipamentos mínimos para enfrentar tais mudanças no clima.

Listamos aqui alguns equipamentos que podem fazer a diferença nestes momentos e te livrar de consequências mais graves:

  1. Cobertor de emergências (manta térmica): o mais importante que pode ser utilizado de variadas formas em variadas ocasiões e não ocupa quase espaço nenhum na sua mochila.
  2. Corta-vento: seguindo a mesma linha do cobertor de emergências, o corta vento, muitas vezes, não ocupa quase espaço nenhum na mochila e dependendo do modelo cabe no bolso e outros ainda são impermeáveis.

Em nossa avaliação, estes acima não podem ficar de fora mesmo em dias sem previsão de frio ou chuva, mesmo em caso de um frio inesperado conjugar o cobertor de emergência por baixo do corta-vento já ajuda demais.

Em situações em que é vamos para uma montanha mais alta e o tempo de travessia, treino ou prova será maior, temos que ter consciência que lá em cima sua sobrevivência depende, EXCLUSIVAMENTE, de você, mesmo em uma prova, não dependa deles para sua segurança, leve seus equipamentos que garantirão que você consiga se aquecer e enfrentar maus momentos até que o resgate possa chegar até você ou que consiga chegar a algum lugar onde consiga esperar o tempo melhorar em segurança, entre estes equipamentos destacamos:

  1. Anoraque: Jaqueta que evita que a água gelada de uma chuva ou tempestade atinja seu corpo e tenha atenção na gramatura do anoraque, se ele tem costuras seladas e também a “coluna d’água – o quanto ela aguenta de chuva”, bem como dê preferência a anoraque com capuz.
  2. Fleece: blusa de frio com tecido que mantém seu corpo aquecido mesmo estando molhado, este equipamento também tem variadas gramaturas (grossura).
  3. Gorro ou balaclava: manter cabeça e orelhas aquecidas e protegidas é fundamental, geralmente os ventos no alto da montanha são muito fortes e este equipamento pode fazer a diferença.
  4. Luvas: existem uma infinidade de luvas e para infinitos tipos de atividade. Sempre leve uma luva para que sua mão não fique exposta ao frio extremo e a chuva gelada, geralmente as mãos esfriam muito mais rápido e pode ser um problema a mais perder a sensibilidade dos dedos.
  5. Camisas e calças segunda pele: estes equipamentos são importantes para isolar seu calor com você e impedir que o frio entre. A combinação de segundas peles com anoraque, gorro e luva muitas vezes já é o suficiente em caso de temperaturas muito baixas e em situações extremas podem até salvar sua vida.
  6. Lanterna: geralmente utilizamos lanternas de cabeça (head lamp), neste caso, tenha sempre pilhas reservas e sempre leve quantidade para sobrar mesmo. Caso tenha lanternas de baterias, leve seu Power bank para poder recarregar.
  7. GPS e/ou Celular: Opções não faltam, o importante é você conseguir, ao menos, mostrar sua localização, entretanto, se tiver um GPS como o SPOT, você terá muito mais segurança e sua família também, pois há possibilidade de você, além de mostrar onde está, poderá trocar mensagens com sua família ou o próprio resgate.
    No caso de Celular esbarramos no problema de sinal e caso onde esteja tenha sinal de celular você conseguirá se comunicar com quem possa te ajudar. Caso não tenha sinal, pelo menos você conseguirá se orientar através de aplicativo como o Wikiloc, por exemplo.
  8. O último equipamento de extrema importância é a pulseira com seus dados para que caso esteja em situação de risco de morte ou mesmo um acidente, a pessoa que lhe encontrar ela consiga te identificar, ligar para algum número e ainda ter seus dados médicos preliminares, além disso, dependendo do plano que fizer, ainda tem seguro que cobrirá seus custos emergenciais, neste caso temos, como exemplo a “MySafe Sports” que já é referência neste quesito.

Já tivemos uma situação de mudança brusca de clima algumas vezes e estivemos presentes em uma recente no Brasil, no caso foi a Ultramaratona dos Perdidos em 2016, onde a prova foi cancelada e graças a Deus nada de mais sério aconteceu.

O fato é que em se tratando de montanha não podemos ser relapsos e displicentes com nós mesmos, a montanha não perdoa e precisamos levar isso muito a sério, esperamos que este artigo ajude a pensar melhor em como tem sido sua relação com a montanha e seus equipamentos.

No fim é você com você mesmo, não dependa de ninguém e se precisar de ajuda, ajude as pessoas a te ajudar!

Aditivo Super Copa Trail

Aditivo ao regulamento 2021

Em virtude do panorama nacional da pandemia, divulgamos as regras para que a Super Copa Trail aconteça ou não no ano de 2021 e suas consequências:


Será necessário que haja número mínimo de eventos em cada região do Brasil para que a Super Copa funcione com as regras do regulamento corrente. Quais sejam:

– Norte: 1 evento;

– Nordeste: 2 eventos;

– Centro-Oeste: 1 evento;

– Sudeste: 4 eventos;

– Sul: 3 eventos.

Caso alguma região não atenda aos requisitos acima, o regulamento passa a ter efeitos com este aditivo e todas suas cláusulas.

Cláusula 1: Todos os Rankings serão cancelados.

Cláusula 2: O evento final em dezembro se realizará com nova forma de distribuição das vagas:

a) Todos os atletas inscritos na supercopa receberão um número para o sorteio para preenchimento das vagas destinadas ao ranking individual. São 50 vagas masculinas e 50 vagas femininas.

b) Teremos 25 vagas para assessorias em um sorteio único e cada assessoria terá direito a 6 vagas (3 masc / 3 fem) totalizando 150 vagas.

c) Teremos 25 vagas para grupos de atletas em um sorteio único e cada grupo terá direito a 6 vagas (3 masc / 3 fem) totalizando 150 vagas.

d) Teremos 20 vagas para equipes de performance em um sorteio único e cada equipe terá direito a 6 vagas (3 masc / 3 fem) totalizando 120 vagas).

e) Teremos 30 vagas para assinantes da Revista Trail Running, independente de sexo.

Cláusula 3: Caso haja o número suficiente de provas para habilitação do Ranking, ele será aplicado, haverão as premiações pertinentes, entretanto, caso não sejam preenchidas todas as vagas, estas serão sorteadas como descrito acima.

Cláusula 4: Em caso de não haverem provas suficientes e seja aplicada a “Cláusula 1” deste aditivo, os atletas que competirem nas provas que fazem parte da Super Copa Trail receberão um número extra para concorrerem no sorteio das vagas.

Cláusula 5: Estas serão as novas condições de participação na prova final chamada “Cambotas Marathon” em Barão dos Cocais em Minas Gerais em dezembro de 2021.

O fim do Circuito Mundial de Ultra Trail

Fim UTWT

Qual é a relação entre o Grupo UTMB® e o Ultra-Trail® World Tour? Quais são as consequências deste novo circuito internacional UTMB® World Series na UTWT?

O elo histórico entre o UTWT e o UTMB® é antes de mais nada esportivo. As principais corridas do UTMB® Mont-Blanc fazem parte do UTWT desde a criação do circuito em 2014. De fato, a UTMB® foi um dos membros fundadores do Ultra-Trail® World Tour, junto com o Western States Endurance Run, o Monte Fuji Ultra-Trail e o Ultra-Trail Australia.

De uma perspectiva de negócios, o Grupo UTMB comprou os direitos do UTWT há dois anos.

Portanto, temos trabalhado em estreita colaboração com a equipe do Grupo UTMB, usando nossa experiência adquirida durante os últimos 7 anos, para construir esta nova Série Mundial UTMB® juntos. Não é um circuito que vai competir com o UTWT, mas sim uma forma de ajudar o esporte a evoluir. Como resultado, o UTMB® World Series marca o fim do UTWT em 2022.

O que está acontecendo com UTWT?

Este ano será ‘normal’ para a UTWT, embora a crise de saúde do COVID continue a nos impactar.

Olhando para o futuro, o Ultra-Trail® World Tour realmente cessará em janeiro de 2022. Mas um número significativo de eventos do Ultra-Trail® World Tour se juntará ao UTMB® World Series.

As corridas do circuito UTWT sabiam do anúncio com antecedência?

Sim, todas as corridas do circuito de 2021 foram informadas sobre as evoluções – o lançamento da UTMB® World Series e o final da UTWT em dezembro de 2021. Achei importante falar com eles antes do anúncio ser feito e responder a qualquer perguntas que eles tinham.

As corridas no circuito 2021 UTWT farão parte da nova UTMB® World Series?

Estamos discutindo a oportunidade de ingressar na UTMB® World Series com todos os organizadores da corrida. É importante observar que o formato da nova série não será o mesmo que no UTWT. As corridas serão associadas à marca UTMB®, e as regras esportivas e operacionais serão mais consistentes. Isso permitirá que cada evento eleve seus padrões e garantirá que todos os atletas tenham a experiência mais memorável possível. Temos certeza de que isso atrairá a maioria dos corredores.

Até agora, o feedback dos organizadores tem sido positivo. Na estrutura UTWT, a força do UTMB® Mont-Blanc como evento (uma das 28 corridas) não atendeu as outras corridas tão bem quanto o novo circuito. Esta mudança ajudará as corridas a crescer, pois serão as únicas corridas de qualificação para o UTMB® Mont-Blanc, o que é enorme para um organizador. Todos eles entendem o apelo desse novo circuito e o foco em certas coisas.

Por que uma corrida teria interesse em ingressar na UTMB® World Series?

As corridas que farão parte do UTMB® World Series serão a única forma de se qualificar para o UTMB® Mont-Blanc, o que obviamente muda a situação. O UTMB® Mont-Blanc atrai mais de 32.000 candidatos todos os anos, para 10.000 vagas. Teremos mais corredores que desejam participar das corridas principais do UTMB® Mont-Blanc e permitir que mais corredores vivam a experiência do UTMB mais perto de casa. As corridas que não estão esgotadas agora serão muito rápidas. Todos eles sabem disso.

E quanto a 2021?

2021 será um ano normal para UTWT. Continuaremos a apoiar todas as corridas do circuito e promover o circuito UTWT ao longo do ano. Estamos 100% comprometidos com a promoção das corridas e destinos e com foco no aspecto competitivo.

Como de costume, cada fim de semana de corrida será dedicado à corrida que está ocorrendo. Sempre foi assim e assim será este ano. A nossa equipe continua a trabalhar diariamente e a desenvolver novas ideias, por exemplo na promoção das corridas, ou na implementação de um novo site e de uma nova plataforma OTT para tornar o conteúdo acessível a todos.

Também haverá vencedores no final do ano. É claro que a cerimônia de premiação no final do ano será especial para nós, e também aproveitaremos a oportunidade para comemorar os 8 anos do circuito.

Vocês ainda apoiarão atletas de elite este ano?

Claro, desde o início do circuito sempre apoiamos muitos atletas. Dá visibilidade às corridas do circuito, mas também permite que os atletas corram em locais onde talvez não tenham tido a oportunidade de fazê-lo.

Como os atletas receberam a notícia da nova UTMB® World Series?
Os organizadores das corridas do circuito UTWT foram informados primeiro. Em seguida, um painel de cerca de 15 atletas de elite foi consultado para ajudar a construir e estruturar este circuito de acordo com suas expectativas.

Os principais pontos que levantaram foram:

1 / a frustração atual dos atletas de elite em ver tantos circuitos em competição, o que torna sua disciplina difícil de entender para o público em geral

E 2 / seu apoio no posicionamento do UTMB® Mont-Blanc como a Final Mundial em muitas distâncias

As Running Stones ganhas nas corridas do circuito UTWT 2021 ainda funcionarão em 2022?

Sim. Running Stones ganhos em 2021 ainda serão válidos em 2022 e são cumulativos de ano para ano. Se os corredores não puderem usá-los para 2022, eles poderão usá-los para se registrar no UTMB® Mont Blanc 2023 e além.

Recentemente, vocês lançaram o Trail com um propósito. Esse projeto vai continuar?

O projeto Trilha com propósito é uma iniciativa que nos comprometemos a desenvolver este ano. O ano passado foi um ano único para a UTWT devido à pandemia, mas isso nos permitiu focar em outros aspectos do esporte, como onde praticamos esse grande esporte e o impacto que temos.

Continuaremos desenvolvendo o projeto este ano por meio da organização de três fóruns de conscientização de atletas e corridas. Queremos destacar as boas práticas que todos podem implementar. E é certo que os aprendizados que tiraremos dessa iniciativa coletiva em 2021 ajudarão a construir um programa ainda mais ambicioso de meio ambiente e solidariedade no UTMB® World Series a partir de 2022.

Nova detentora do FKT Boi Preto Ultra

Danielle Reis Boi Preto

No último fim de semana a atleta, Danielle Reis, iniciou sua jornada pelas centenárias trilhas da Boi Preto Ultra, um percurso de aproximadamente 83km com 3700m D+.

O desafio se tornou ainda mais difícil pois a atleta iniciou a corrida às 23h de sexta-feira (07/05) cruzando uma madrugada de muita neblina e frio.

A primeira parte da Boi Preto são 38km sendo que 20 deles é em crista de montanha nos trechos, “fim do mundo e topo do mundo”.

Conversamos com Danielle sobre como foi completar esta travessia que já é considerada uma das mais duras do Brasil.

Passar a noite naquele primeiro trecho foi muito difícil, muito vento e não dava para enxergar nada. Frio não senti porque estava bem agasalhada e nesse trecho perdemos muito tempo dentro das nossas perspectivas.

Depois disso tivemos que correr atrás e nisso acabei me distanciando do Kleitinho.

Quando entrei na porteira que inicia o Boi realmente, uma chave virou e dei meu melhor. Me esforcei, me dediquei e fui buscar o tempo perdido.

O percurso é difícil e como é, não tem quase trégua nenhuma para recuperar. Ali é coragem, colocar em prática os treinos, esforço constante. É uma batalha e um desafio a cada momento.

Dá vontade de desistir mas nessa hora o sonho e a vontade de vencer falam mais alto e nos impulsionam. Além de saber que todos estavam torcendo por mim.

Tive apoio incrível do meu treinador. Thiago Aguiar e meu preparado, físico Klaus, que quando propus fazer a Boi Preto embarcaram no meu sonho.

Concluir já é uma realização e euforia e parabenizo a todos que seguraram esse Boi pelo chifre.

Danielle não só concluiu a Boi Preto Ultra como também é a nova detentora do FKT (Fastest Know Time – melhor tempo conhecido).

Estou surpresa e contente com meu resultado, principalmente por que meu início não foi tão bem.
Esse Boi é coisa de louco, nuuuu!!!
Mas hoje ele me proporcionou uma felicidade imensa. E eu posso dizer: venci esse Boi Bandido.
Só temos a parabenizar pelo belíssimo resultado e fica o convite a mais atletas desafiarem este “Boizão” e tentar buscar melhorar os tempos.

Seguem FKT’s

Masculino:
Solo:
– Roger Darrigrand (Supported 12h05min, Unsupported 12h24min)
– Francisco Ottoni (Self-supported 13h46min)
Feminino:
– Danielle Reis (Supported 19h05min)