A incrível história da ultramaratonista rarámuri Lorena Ramírez

O que você precisa para correr e performar em uma ultra trail? A maioria dos corredores vai responder que precisa de um (ou mais) bom par de tênis, com bastante amortecimento; uma confortável mochila de hidratação; roupas e acessórios de excelente qualidade; géis de carboidrato e suplementos caros, entre outros itens que requerem bastante tecnologia.

O filme “Lorena, la de pies ligeros”, na Netflix, conta a história de uma corredora mexicana que não precisa de nada disso. Apenas com suas rústicas sandálias e um condicionamento físico de dar inveja a muitos atletas, ela conseguiu vencer e conquistar outros excelentes resultados em famosas e duras ultramaratonas.

Lorena, que atualmente tem 21 anos, vive no estado de Chihuahua, no norte do México e pertence ao povo Rarámuri, mais conhecido como Tarahumaras, que ficaram famosos com o livro “Nascidos para correr”. O curta metragem, de apenas 28 minutos, narra um pouco da história dessa tímida corredora, que venceu a Ultramaratona Guachochi, em 2017, correndo seus 100 quilômetros usando sandálias e trajes tradicionais.

A jovem viajou para a Espanha, em 2018, para disputar a Tenerife Bluetrail e ficou em 3º lugar, depois de correr 102 quilômetros, também com suas sandálias.

Acesse aqui para assistir na Netflix.

Assista ao trailer do filme:

TNF lança vídeo sobre tentativa do breaking 20 de Capell no percurso da UTMB

A Ultra-Trail du Mont-Blanc é uma das corridas de trilha mais duras e lindas do mundo. Depois de vencer em 2019, com tempo recorde de percurso de 20h19″07′, e de ter a prova cancelada em 2020, devido à pandemia da covid-19, o atleta da The North Face Pau Capell se impôs uma missão: quebrar seu próprio recorde e completar o percurso de 106 milhas em menos de 20 horas.

O maior desafio não era a distância, ou o ganho e a perda de elevação, faz cumprir o desafio sozinho, sem espectadores, postos de socorro ou adversários com quem competir.

Confira o vídeo oficial da TNF sobre essa tentativa, que foi registrada no dia 27 de agosto de 2020:

Dica de vídeo: Davide’s Way Against the Clock

Ortles, Stelvio Pass e Presanella três percursos icônicos na Itália eram os objetivos em mente para o italiano Davide Magnini alcançar o recorde na temporada de verão de 2020. Num ano de pandemia, sem corridas em trail running, o jovem decide continuar a treinar com a intenção de bater os tempos mais rápidos que se conhece nos três icônicos percursos italianos que sempre lhe inspiraram desde a infância.

Foto: Saragossa

No primeiro episódio, disponível no canal da Salomon TV no Youtube, o forte atleta do Centro Esportivo do Exército, patrocinado pelo Salomon, foi atrapalhado pelo vento de grande altitude e as temperaturas baixas, que, por pouco mais de um minuto, o impediram de bater um recorde histórico da ascensão mítica da estância de Bormio leva até ao Passo Stelvio . O tempo recorde de Cles Giuliano Battocletti (1h31’21 “), datado de 2005, está mantido.

O percurso é uma meia maratona de ascensão única, com 34 curvas fechadas, bem semelhante à Serra do Rio do Rastro, no Brasil. A largada é a 1225m e termina aos 2758m de altitude, ou seja, são duros 1533m de ganho de elevação.

“Durante três quartos da subida escalei muito bem, depois o frio tomou conta do meu estômago e não pude mais correr como queria. Parei o relógio no tempo de 1h32’39 “, ou seja, 1 ‘e 18″ acima do tempo de Giuliano. Sabia que era um grande contra-relógio, mas não desisti… Vou tentar de novo”, declarou o jovem corredor.

Foto: Saragossa

Confira o vídeo completo abaixo:

CAMERAS: Pep Cuberes, Pau Gonzalez.
TRADUÇÕES: Martina Valmassoi, Catherine Desmurs
EDITOR: Pep Cuberes
FOOTAGE ADICIONAL: Dia Mapei – Andreea Maiolani / Asta e Tonale – Pegaso Media / Tour du Rutur – Marco Camadona /
Série Golden Trail CAST: Davide Magnini, Maurizio Fondriest, Lodovica Magnini, Andrea Maiolani, Nicolo Gal Canclini