Sorteio RTR

Foi realizado no dia 20 de setembro de 2020 o primeiro dos quatro sorteios programados pela Revista Trail Running.

As regras para os sorteios são as seguintes:

1- cada sorteio é ativado quando se atinge 100 novos assinantes na semana;

2- os assinantes que excederem aos 100 contam para semana seguinte. Ex. Se na primeira semana tivermos 120 assinantes, os 20 que excederam já contam para a outra semana, então na segunda semana seriam necessários 80 novos assinantes para ativar o segundo sorteio.

3- Todos os assinantes pagantes da Revista estão habilitados para os 4 (quatro sorteios), exceto os que forem sorteados em algum dos sorteios.

4- Os sorteios se realizarão aos domingos 20h no nosso canal do Youtube, caso o número de assinantes não atinja a meta, o sorteio será adiado e realizado no dia posterior ao atingimento da meta.

5- A lista do primeiro sorteio e seus ganhadores estão disponíveis aqui,

6- O check de informações e situação dos sorteados será feita na segunda-feira após o sorteio e em caso de algum sorteado não ter efetivado o pagamento, a Revista Trail Running irá fazer um novo sorteio do produto/serviço sorteado a um novo assinante. Este novo sorteio será realizado no sorteio seguinte.

7- Sorteados da primeira semana:

1- Rodrigo Vieira – KTR Campos

2- Rafael Reid – Indomit Pedra do Baú

3- Douglas Granzotto – Caixa barrinhas Dobro

4- Luís Nei Resende – Mochila Fly Kailash

5- Raphael Bonatto – WTR Serra do Mar

6- Sérgio Pauletto Jr – Tênis Salomon Slab 8

7- Regina Andrade – Run Brasil Ride

O próximo sorteio será no domingo dia 27 de setembro de 2020 às 20h no nosso canal do YouTube, boa sorte a todos.

Desafio Espírito Guerreiro da Selva

Senão o primeiro, um dos primeiros eventos esportivos a se realizarem com protocolos aplicados em virtude da pandemia!

1- Quais os procedimentos para adequar o evento às normas locais?

Localmente não há uma norma específica, isso não foi elaborado, nós que tivemos a iniciativa e apresentamos o protocolo que iríamos utilizar para a FVS (fundação de vigilância sanitária), e recomendaram que teríamos que seguir o máximo de participantes conforme rege o decreto atual (menos de 200 pessoas).

2- qual o número de atletas inscritos e qual seria caso não houvesse pandemia?

Para adequar ao número máximo de 200, limitamos as inscrições por modalidade de acordo com o horário de largada e previsão de chegada, com isso conseguimos adequar para até 285 inscritos, pois tínhamos largadas de 6h27min até às 6h50min para as modalidades Guerreiro da Selva (ultra de 56 + MTB + obstáculos) e a ultra de 56k, em seguida a modalidade obstáculos – Competição com largada de 7h15min até 7h45mim, depois trail run de 5,6k de 8h até às 8h15mim, a modalidade obstáculos diversão foi de8h30min até 8h50min a modalidade MTB das 15h às 15h30min e após o MTB em sequência a sua chegada às largadas para obstáculos da modalidade Guerreiro da Selva!

Caso não houvesse a pandemia, teríamos entre 1.200 e 1.500 participantes em todas as modalidades e 2 dias de evento!

3- quais as distâncias disputadas e como se desenvolveu o evento?

– Guerreiro da selva com 56k de trail run, 16,8k de MTB e 5k de obstáculos;
-Ultra Trail com 56k e limite de 8h para cumprir as 10 voltas;
Ultra trail com voltas livres em 8 horas;
– Trail Run de 5,6k;
– corrida de obstáculos com 5k e 16 obstáculos;
– MTB com 16,8k.

Pela manhã iniciamos com a modalidade Guerreiro da Selva seguido da Ultra Trail, e seguindo a sequência de largada conforme citamos na respota anterior!

4- qual foi a aceitação por parte dos atletas em seguirem os protocolos?

Excelente na retirada de Kits, na chegada ao evento até um certo horário, depois com o excesso de calor e redução do número de presentes no evento o uso de máscara foi sendo deixado de lado, e na chegada, percebemos que não há como colocar uma máscara devido ao sprint final e necessidade de recuperação do nível calmo de respiração e ajustamos deixando o atleta em uma área aberta até se recuperar para depois usar a máscara e esse ponto foi meio obedecido, uns iam embora direto outros colocavam e depois uns tiravam ou outros permaneciam, isso é um hábito novo e entendemos perfeitamente, eu mesmo tirei inúmeras vezes para falar ao microfone, beber água, fazer fotos, chamar um Staff, orientar alguma situação etc, é preciso um bom senso nessa percepção do uso da máscara e também lembrar que estávamos em um local verde, aberto e os presentes no aguardo do atleta convivem juntos e vem no mesmo carro, ou seja, entre eles, distanciados dos demais, não trás o risco, e é como culturalmente em Manaus essa situação está acontecendo.

5- Como foi feito o controle de largadas e chegadas?

Para cada modalidade foi criado uma forma de largada, ou de 20 em 20 atletas (Guerreiro e o Trail) ou com 5 atletas (obstáculos) ou 3 atletas (MTB), em todas cada grupo tinha um intervalo de largada, que variava de 3 a 2 min de acordo com a modalidade, e divulgamos previamente cada uma, os atletas já chegavam sabendo da sua largada e no sistema de som fazia uma chamada por número de peito e
Nome, e em seguida o atleta se dirigia ao ponto de acesso para averiguar nome e número e aferir temperatura, aí ele adentrava não arena de largada e se posicionava em um cones equidistantes 1,5m entre si até a o sinal de largada.

A chegada era computado o horário e não tinha a entrega de medalha, frutas e hidratação, apenas um espaço para sua saída e em seguida ele era orientado a colocar a máscara e se direcionava as tendas para hidratar e receber medalha e frutas.

6- podemos dizer que já é possível a normalização dos eventos esportivos? Se sim, sob quais condições?

Manaus sim! As condições são as que utilizamos, os protocolos foram bem recebidos, foi missão real, não era um teste e pequenas adequações voltadas ao bom senso e constante lembrança do uso das Máscaras torna tudo um ótimo ambiente!

7- qual sua avaliação sobre o evento e quais lições pôde-se tirar para os próximos?

Superou em muito nossa expectativa, total união atletas e organização, todos felizes, nos sentimos seguros e tivemos um excelente domingo!
A Lição é policiar mais o uso das máscaras e criar uma área de recuperação para o atleta tem um tempo até ser exigido o uso da máscara novamente!

Raiz trail

Quem somos

A RAIZ TRAIL nasceu oficialmente em 25 de Novembro de 2017 em um evento na zona sul de Porto Alegre com a presença de mais de 200 pessoas de várias cidades do estado.

No evento foi realizado uma corrida em forma de desafio e um percurso de aproximadamente 10km para iniciantes e familiares. O alcance do evento superou as expectativas dos organizadores e ganhou as redes sociais pelo país.

Mas o Projeto RAIZ TRAIL nasceu bem antes em Dezembro de 2016, do desejo de cinco gaúchos apaixonados pelo trailrunning (corrida em trilhas). Rodrigo Berta, Daniel Gohl, Cristiano Fetter, André Siegle e Émerson Corrales.

Estes cinco amigos que as trilhas fizeram o favor em unir decidiram que queriam fazer algo mais pelo esporte e entraram de cabeça nesse sonho.
Mas o que é o Projeto Raiz Trail?

PROJETO MANITU – em Algonquino – energia vital, imanente aos homens, animais, plantas e fenômenos naturais – Projeto Raiz Trail de fomento ao trail gaúcho através de ações voltadas para os atletas e para as comunidades de Porto Alegre e Região.

Dividido nos seguintes subprojetos:

Nipa wa (Team Raiz Trail) em Iorubá – Equipe – Possuir uma equipe de Trail Running inpara incentivar atletas gaúchos a se desenvolverem e, ainda, incentivar o surgimento de novos atletas.
Raràmuri (Escolinha) em Tarahumara – Planta Corredora ou, também, os dos pés ligeiros – Implementar uma Escolinha Trail para crianças e jovens carentes nos locais onde treinamos.
Ibiporã (Meio Ambiente) em Tupi Guarani – Terra Bonita – Realizar ações de preservação do meio ambiente e minimização dos impactos nos morros e locais por onde praticamos nosso esporte.
Aroha (Social) em Maori – Carinho – Ações sociais de apoio e arrecadações para creches, abrigos e asilos das comunidades nesses locais.

A Raiz Trail vê o seu desenvolvimento através dos seguintes ditames:

Missão

Organizar, Divulgar e Desenvolver eventos e atividades voltadas para o Trailrunning , garantindo a prática do esporte em contato com a natureza de forma simples e sustentável, gerando para o público sensação de bem-estar, saúde e felicidade.

Visão

Ser referência e fonte de irradiação do Trailrunning no RS.

Valores:

Simplicidade
Organização
Amizade
Respeito ao Meio Ambiente
Responsabilidade Social
Sustentabilidade
Superação
Amor à Montanha

Canfrac

Neste final de semana (12 e 13/09) 800 atletas disputaram, na Espanha, a Ultra-Trail® Canfranc-Canfranc, corrida de montanha cujo percurso principal, de 100km e 8.848m de ganho de elevação, fazem desta, a prova de 100km com o maior desnível positivo de altitude do mundo, acumulando, inclusive, dois quilômetros verticais, pelos 10 picks dos Pirineus Aragoneses.

Não só é uma corrida dura, mas também atravessa maciços rochosos bem conhecidos e míticos como Collarada, Anayet e Aspe, onde mais de 75% do percurso está acima dos 2000m de altitude.

A prova ainda conta com percursos de 75 km (6500+), 45 km (4000+) e 16 km (1600+). Devido à pandemia da Covid-19, as largadas foram individuais, com cada atleta largando sozinho a cada 30 segundos.

Marcos Ramos foi o campeão dos 100 kmom 18h15, seguido por Roberto Herrera (20h36) e Mario Rodríguez (21h05). No feminino, Jainone Sasieta foi a campeã, com 28h53, seguida por Marta Corahua (29h03) e Ana Campos (31h51).

Nos 75 km, Jordi Gamito foi o campeão, com 12h19, seguido por Ivan Agirrezabala (12h30) e Oscar Puyuelo (13h40). No feminino, vitória de Silvia Trigueros (15h17), seguida por Leticia Bullido (15h24) e Eli Ríos em 3º lugar.

Nós duros 45 km, o francês Tibaut Baronian foi o grande campeão, com o tempo de 5h15, seguido por Samuel Dávila (5h21) e Miguel  Heras (5h23). No Feminino a classificação ficou assim: 1 – Oihana Kortazar 6h37; 2 – María Ordoñez 7h37m e 3 – Eva Mesado 7h53.

Nós 16 km, presença do campeão mundial de trail, Luis Alberto Hernando, que foi o vice-campeão por apenas 2 segundos de diferença (1h47min37). O vencedor foi Servo Nadege (1h47min35). Didier Zago completou o pódio masculino com o tempo de 1h52min10. Os 16 km contaram com a presença do campeão mundial juvenil e de VK, Daniel Osanz e outros atletas que já foram campeões mundiais individuais ou na seleção espanhola. Ion Sola, com 1h52min18 e Daniel Osanz, com 1h52min34 completaram o pódio histórico, alternando Espanha e França, jovens e veteranos.

No Feminino, Servant Nadege ficou com o 1º lugar (2h08min), seguida por Sara Alonso (2h13), Gisela Bertran (2h14), Maite Maioria (2h16) e Olívia Magnone (2h21).


PROTOCOLOS

A prova seguiu diversos protocolos para prevenir a transmissão da Covid-19, como envio de kits para o endereço de cada corredor; congresso técnico on-line; largadas para as quatro distâncias distribuídas por três dias; largada individual separada por 30 segundos; aferição da temperatura dos atletas; uso de máscaras e álcool em gel antes da largada e após a chegada; manutenção de distância de pelo menos 5 metros entre os atletas durante a corrida; entrega de prêmios individual e posterior à prova; comidas e bebidas servidas em embalagens individuais nos PCs; proibição de espectadores na arena, entre muitas outras medidas.

Raiz Trail Tapera

Dia: 27 de novembro de 2021

Distancias: CURTO (entre 05km e 08km) - MÉDIO (entre 10km e 15km) e LONGO (entre 21km e 25km).

Prova de autossuficiência em terreno técnico e de altimetria acumulada alta, sobe e desce constantes. Morro da Tapera, zona sul de Porto Alegre, elevação máxima 252 metros.

Site oficial: Raiz Trail Tapera 2021

 

Pedido Raiz Trail Tapera

TERMOS E CONDIÇÕES PARA AQUISIÇÃO DE CUPOM. O pedido de cupom para o evento em questão não é garantia de inscrição. A Revista Trail Running não faz reserva de vaga em nenhum evento e caso as inscrições estejam encerradas ela não terá qualquer responsabilidade nisso. A Revista Trail Running enviará dentro de 24h um cupom para que acesse o site do organizador e proceda a sua inscrição. É totalmente vedado o uso do cupom para outra pessoa que não seja o assinante titular da Revista Trail Running. O uso do cupom para pessoa diversa implicará em cancelamento da inscrição no evento. (O cupom a ser gerado será vinculado ao CPF do assinante da Revista Trail Running, sendo vedado o uso do cupom por outra pessoa.)

Somente assinantes podem requerer o Cupom, caso seja assinante da Revista Trail Running, favor fazer login.

UTWT

Este fim de semana veremos a continuação do circuito Ultra-Trail® World Tour 2020 com a Ultra-Trail Harricana ™ ocorrendo no domingo, 13 de setembro em La Malbaie, Canadá. À luz do contexto de saúde em curso, a edição deste ano da corrida será adaptada em conformidade com vários protocolos em vigor para respeitar o distanciamento social e a segurança de todos os envolvidos. O número de corredores, voluntários e membros da equipe será limitado, com apenas atletas do Canadá com permissão para participar do evento deste ano. Os planos de saúde para a corrida agora receberam luz verde do Ministério de Saúde Pública de Quebec e foram compartilhados com os atletas participantes.

“Estamos levando a situação muito a sério e a saúde de todos é nossa prioridade”, disse Marline Côté, gerente geral da Ultra-Trail Harricana ™ do Canadá. “Estamos confiantes de que podemos realizar este evento de forma ética e responsável.”

Após várias semanas de reflexão, e à luz dos desenvolvimentos mais recentes em relação à situação do COVID-19 em Quebec, a equipe Ultra-Trail Harricana ™ do Canadá decidiu que apenas as corridas de longa distância (65km, 80km e 125km) irão adiante.

Com o distanciamento sócio-sanitário e as regras sanitárias mais difíceis de cumprir nas distâncias mais curtas, os participantes inscritos nos 28km, 20km, 10km e 5km foram convidados a participar do evento “Harricana All Summer Long”.

Harricana

© Ultra-Trail Harricana™ – David Beland, all right reserved

O atual campeão do UTHC, Guillaume Barry, estará entre os elites que disputarão a corrida mais longa. No ano passado, ele alcançou seu melhor desempenho até o momento com um tempo de chegada de 13:55. Ele será capaz de bater seu próprio recorde? Entre as mulheres, Alicia Woodside, que conta com 3 vitórias, além de 10 atletas entre as 3 primeiras e 18 entre as 10 primeiras, participarão da prova de 125km.

O Ultra-Trail Harricana ™ é uma viagem autêntica e desafiadora pela natureza selvagem do Canadá. Um percurso bem equilibrado no qual a velocidade e a habilidade técnica entram em jogo, a linha de partida será definida no campo selvagem e acidentado de Charlevoix.

Os corredores terão que cruzar vários lagos e, no caminho, terão a chance de encontrar animais selvagens típicos do Canadá, como castores, porcos-espinhos e alces. No percurso serão quatro escaladas: o Monte Lac-à-L’Empêche e o Monte Morios, com suas deslumbrantes vistas panorâmicas dos arredores, a montanha Noyée, com sua crista em forma de mulher flutuando na água, e por último a montanha Noire, situada em trilhas especialmente desenvolvidas pela equipe Harricana, que proporcionam belas vistas do Mont Grand-Fonds.

Serra dos Matões

A 8ª Edição do DESAFIO SERRA DOS MATÕES será realizada em data a ser divultada brevemente, no Município de Pedro II – PI. 2.

O Desafio ocorrerá nas distâncias aproximadas de 10km, 21km e 33km podendo haver, por motivos de segurança e logística, acréscimo ou decréscimo do tamanho do percurso originalmente estipulado.

Desario das Serras Nordeste

O território do município de Bonito era, até o final do século XVIII, totalmente coberto de imensas florestas e situava-se na área abrangida pelo célebre Quilombo dos Palmares. A beleza do local deu à cidade o nome de Bonito. O município foi batizado por caçadores, vindos do povoado de São José dos Bezerros, que percorriam as florestas e deparavam-se com belos riachos.

É bastante conhecido como destino turístico, por apresentar cachoeiras de tamanhos e intensidades variadas. Estas, eleitas recentemente, uma das 7 maravilhas de Pernambuco. Encontram-se próximo às suas cachoeiras diversas pousadas e hotéis-fazenda, assim como áreas de camping, recebendo turistas de todo o país. Ainda existe a associação de guias da cidade, responsáveis pela orientação sobre trilhas por toda a região, seja para trekking, rapel ou outros esportes.

Muitos grupos de ciclismo do estado também realizam trilhas regulares por entre suas cachoeiras, como Bonito Pedal, grupo voltado para o esporte não-competitivo. águas límpidas. Preparem-se para grandes Desafios em Bonito! Liberte seu gigante!

Local: Bonito/PE

Distâncias: 5,8km, 10km, 21km, 55km

Site oficial

Desario das Serras Nordeste

A 3 Etapa do Circuito 2020 do Desafio das Serras será na paradisíaca Ilha de Fernando de Noronha, que ocorrerá no dia 12 de setembro de 2020.

Fernando de Noronha é um arquipélago vulcânico situado a cerca de 350 quilómetros ao largo da costa nordeste do Brasil. Tem o nome da sua maior ilha, um parque marinho e santuário ecológico protegido com uma linha costeira recortada e vários ecossistemas. É reconhecida pelas suas praias pouco urbanizadas e por atividades como mergulho e snorkeling. As tartarugas marinhas, as raias, os golfinhos e os tubarões dos recifes nadam nas águas quentes e cristalinas.

A Ilha possui uma geografia bem irregular, com áreas baixas, costeiras e partes altas, montanhosas, com bastante trilhas e estradas de terra, o que favorece a prática dos esportes de endurance off road.

Os percursos foram mapeados com a ajuda de Corredores de Montanha que moram na Ilha e conhecem todas as trilhas da região, e também foram tomados os devidos cuidados com relação a preservação ambiental e sistema de descartes.

Como já é tradição do Desafio das Serras, não serão utilizados copos nem garrafas plásticas para hidratação, e sim, botijões de água com torneiras para os corredores abastecerem seus próprios reservatórios de água.

Local: Fernando de Noronha/PE

Distâncias: 7,7km, 11,5km, 22km, 35km

Site oficial

Desario das Serras Nordeste

Localizada ao Norte do Estado da Paraíba, Bananeiras integra a micro-região do Brejo, com superfície de 284 Km quadrados. Está a 552m acima do nível do mar. Cortada por estratégicas rodovias estaduais, que se interligam a rodovias federais, liga-se a João Pessoa, Natal, Recife e Campina Grande, em poucas horas de viagem.

O município que possui clima temperado, com temperaturas que oscilam entre 12 e 31 graus, e integrado por córregos perenes que ligam a rede hidrográfica do município, será palco da II Etapa do Desafio das Serras em 2019. Preparem-se para grandes Desafios em Bananeiras! #liberteseugigante.

Local: Bananeiras/PE - Bananeiras está a 141 km de João Pessoa, 150 km de Natal e a 70 km de Campina Grande.

Distâncias: 5k, 10k, 25km e 45km

Data: 07 de novembro de 2020

Site oficial: Desafio das Serras Off Road - Bananeiras

ARENA DO EVENTO
Praça Castro Pinto

Sexta-feira, 06 de Novembro:
15h às 21h- Entrega de kits (Hotel Serra Golfe)
18h30 às 19h - Simpósio on-Line
Local: Bananeiras/PB (Hotel Serra Golfe)

Sábado, 07 de Novembro:
6h - Abertura da arena
6h20 - Largada Fast, Half e Marathon
6h25 - Largada Light
9h – Premiação Light e Fast

11h - Premiação Half
15h30 – Premiação Marathon

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:
1. Todo atleta é obrigado a levar consigo um recipiente que comporte água, pode ser garrafinha ou mochila de hidratação;
2. Não será distribuído água mineral em copo no percurso, haverá bombas de águas que irão abastecer o recipiente do atleta;
3. A participação no simpósio é fundamental, caso não compareça, não terá direito a nenhum tipo de recurso após a prova;
4. Evite retirar seu kit no dia da prova, o ideal é pegá-lo um dia antes;
5. Aconselhamos que leve celular consigo, para caso precise se comunicar com alguém durante o percurso.

Como chegar ao evento:
Bananeiras está a 141 km de João Pessoa, 150 km de Natal e a 70 km de Campina Grande. Utilize o GoogleMaps para planejar melhor sua viagem.

Somente assinantes podem requerer o Cupom, caso seja assinante da Revista Trail Running, favor fazer login.