Campeonato Sul-americano de SkyRunning

No último fim de semana aconteceu o 2º campeonato sul-americano de skyrunning no Brasil, o evento foi sediado pela Insanity Mestre Álvaro na cidade de Serra/ES e contou com as distâncias SkyRace (35km), SkyUltra (50km) e quilômetro vertical (5km – 1000m D+).

As seleções do Brasil, Peru, Equador, Chile e Bolívia fizeram grandes disputas em todas as modalidades, sendo que o Brasil, no fim, foi o grande campeão com 4 medalhas de ouro, 5 de prata e 4 de bronze, somando 13 medalhas.

O evento ainda contou com as distâncias abertas ao público de quilômetro vertical, 12, 21, 35 e 50km e o sucesso foi expressivo em todas modalidades. Em conversa com os participantes era nítida a satisfação com a marcação do percurso e dificuldade do terreno, a Insanity Mestre Álvaro é uma das mais difíceis e temidas provas do Brasil por ser altamente íngreme e técnica. Para se ter uma ideia, os 35km tem incríveis 3.300m de desnível positivo e os 50km tem inacreditáveis 4.500m de desnível positivo, algo único em se tratando de Brasil.

A arena da prova foi cuidadosamente planejada para dar aos atletas e acompanhantes muito conforto, espaço com mesas e cadeiras, guarda-volumes, área do atleta com fartura em comida e bebidas, café da manhã diferenciado, trabalho de mídia muito bem feito, internet e um ambiente muito favorável e propício para todos se alimentarem e apreciarem belíssimas disputas e chegadas alucinantes.

O clima de junho foi fator diferencial em relação aos últimos anos, na sexta-feira, dia do km vertical, o dia estava lindo, mas não foi quente, estava muito agradável. Já no sábado, principal dia do evento, fez um clima de montanha com bastante neblina e frio, o que propiciou grandes performances e emoções até o fim do dia.

Na disputa do km vertical, o Brasil estava muito bem representado e garantiu a Prata e o Bronze na disputa feminina com Maria Clara Hillmann e Mirlene Picin, sendo que o Chile foi medalha de ouro com a atleta Valéria Correa. Já no Masculino, André Mapa fez uma belíssima disputa e alcançou o bronze para nossa seleção, com dois peruanos nas duas primeiras posições, ouro para Jhoseph Mamani e a prata para Emerson Trujillo.

Com largada às 4h da manhã, os 50km da SkyUltra foram de muita paciência para os atletas, muitas horas na trilha e muito desnível acumulado, nosso fantasma (Cleverson Del Secchi) liderou grande parte da prova, mas o Peruano Emerson Trujillo, que já havia sido prata no km vertical, conquistou o ouro com o emocionado fantasma com a prata e para fechar o pódio de maneira brilhante, Felipe Silva, o mais versátil atleta brasileiro fez uma prova consistente e conquistou o bronze para nossa seleção. No feminino, brilho da atleta rio-grandense, Ivania Rambo, que venceu e garantiu a medalha de ouro, seguida pela peruana, Lorena Ricalde, que ficou com a medalha de prata e a brasileira, Mariana Scarpelli, que garantiu mais uma medalha para o Brasil, bronze.

Nos 35km da modalidade Sky, os brasileiros Sandro Arcanjo e André Mapa, ambos mineiros, confirmaram o favoritismo e fizeram dobradinha no sul-americano com ouro e prata respectivamente, para fechar o pódio o equatoriano, Christopher Guevara conquistou a medalha de bronze. No feminino assistimos mais um show da chilena, Valéria Correa, fechando a prova com o ouro, a brasileira, Francielle Kiekow, que liderou grande parte da prova ficou com a medalha de prata e em uma disputa por centímetros a equatoriana, Nancy martinez ficou com a medalha de bronze.

Houve também a premiação para o combinado das distancias km vertical e sky e André Mapa levou a medalha de ouro, o peruano, Jhoseph Mamani com a prata e o também peruano, Marcos Salinas, fechou com o bronze. No feminino a atleta chilena, Valéria Correa, recebeu sua terceira medalha dourada, a prata ficou com a brasileira Maria Clara Hillmann e o bronze com a peruana, Lucy Mejia.

O sucesso do evento foi muito notório e nós da Revista Trail Running saudamos todas as seleções e especialmente toda delegação brasileira que mais uma vez executaram um grande trabalho, não somente nas trilhas, mas todo o trabalho pela Skyrunning Brasil ao longo dos anos. Estamos no caminho certo.


Resultados da corrida

VERTICAL

Men

Gold – Jhosep Mamani Palomino (PER) 52’07”

Silver – Emerson Robert Trujillo Flores (PER) 53’35”

Bronze – André Luiz Mapa (BRA) 54’28”

Women

Gold – Valeria Correa (CHI) 1h01’31”

Silver – Maria Clara Ruschell Hillmann (BRA) 1h04’43”

Bronze – Mirlene Picin (BRA) 1h05’17”

SKY

Men

Gold – Sandro Arcanjo (BRA) 6h13’44”

Silver – André Luiz Mapa (BRA) 6h20’16”

Bronze – Christopher Guevara (ECU) 6h37’47”

Women

Gold – Valeria Correa (CHI) 7h04’59”

Silver – Francieli Kiekow (BRA) 7h09’00”

Bronze – Nancy Martinez (ECU) 7h32’56”

SKYULTRA

Men

Gold – Emerson Trujillo Flores (PER) 8h50’25”

Silver – Cleverson Del Secchi (BRA) 8h55’57”

Bronze – Felipe Costa (BRA) 9h14’06”

Women

Gold – Ivania Rambo (BRA) 10h03’16”

Silver – Lorena Ricalde (PER) 10h43’52”

Bronze – Mariana Pipolo Scarpelli (BRA) 11h30’18”

COMBINED

Men

Gold – André Luiz Mapa (BRA)

Silver – Jhosep Mamani Palomino (PER)

Bronze – Marcos Salinas (PER)

Women

Gold – Valeria Correa (CHI)

Silver – Maria Clara Ruschell Hillmann (BRA)

Bronze – Lucy Mejia (PER)


Medal count

VERTICAL results

SKY results

SKYULTRA results

La Mision Brasil. Não é só correr!

#NãoÉSóCorrer

As trilhas da La Mision Brasil transcorrem pela crista das montanhas, subindo e descendo alguns dos pontos mais altos do Brasil, como o Capim Amarelo (2491m) e a Pedra da Mina (2798m), 4º. ponto mais alto do país!
Autossuficiência é a principal característica da prova. O atleta deve levar consigo além dos equipamentos obrigatórios, hidratação e alimentação.

A montanha é um ambiente imprevisível e para que todos desfrutem da EXPERIÊNCIA de ser um MISIONERO o item SEGURANÇA é fator primordial! Durante 3 dias você viverá a inesquecível experiência La Mision Brasil com direito a um exclusivo passeio de trem e a La Mision Kids.

A La Mision Brasil 2021 está marcada para os dias 13 e 14 de agosto.

Foto: Emanuel Galafassi

Percursos

Para fins de planejamento individual de treinos o atleta deverá considerar as seguintes informações:

– 80km: desnível positivo de 5160m e desnível negativo de 5160m, distância aferida 77.390m.
– 50km: desnível positivo de 3485m e desnível negativo de 3485m, distância aferida 51.000m.
– 35km: desnível positivo de 2513m e desnível negativo de 2513m, distância aferida 35.200m.
– 15km: desnível positivo de 1000m e desnível negativo de 1000m, distância aferida 14.870m.

A organização oferece um Plano B em todas as distâncias para a realização da prova, caso o percurso inicial esteja impossibilidade de ser executado no dia do evento.

As duas opções de percursos, de cada distância, da La Misión Brasil 2020 estarão disponibilizados nos canais de comunicação do evento,  a partir de 20 de janeiro de 2021.

Os pontos de hidratação natural, postos de controle, ganhos de elevação, pontos de corte e demais informações pertinentes estão disponíveis no site do evento a partir de 20 de janeiro de 2021.

Os percursos foram aferidos com o seguinte equipamento: GPS GARMIN OREGON 450, sistema de coordenadas DATUM WGS1984 e modelo digital do terreno SRTM1.

Mesmo se tratando de equipamento de alta precisão em aferição, as distâncias poderão sofrer variação de até 10% para mais ou para menos, do percurso divulgado.

A divulgação do plano B dos percursos tem como finalidade orientar o período de treinamento do atleta visando a sua melhor adaptação e segurança durante a realização do evento.

Em decorrência do incêndio que ocorreu na Serra Fina em 2020, o trecho da prova que percorre as cristas da mesma está interditado até Junho de 2021.

————————–
Faça o download gratuito do guia da Super Copa Trail clicando aqui.

Confira o Regulamento completo da Super Copa clicando aqui.

Confira, abaixo, como foi a edição 2019 da La Mision Brasil: