3a Jornada de Montanhismo

Inscrições abertas para a III Jornada Cultural e Científica de Montanhismo, em abril

Jornada Cultural e Científica de Montanhismo discute volta de atividades de esportes de aventura em 1º evento presencial desde o início da pandemia, com o objetivo de conectar e capacitar praticantes de atividades ao ar livre como Camping, Hiking, Trekking, Escalada em Rocha, Trail Running e Bikepacking.

Depois de dois anos em meio à covid-19, com trabalho remoto, isolamento e, finalmente, vacina no braço, o circuito de esporte de aventura terá a tão aguardada volta dos eventos presenciais de imersão e atualização: a Jornada Cultural e Científica de Montanhismo Gear Tips acontece de 01 a 03 de abril de 2022, a primeira depois da pandemia.

Com o desafio de debater o mundo e sua reconfiguração necessária depois da chegada da covid-19, a Jornada Científica de Montanhismo vai reunir capacitação, conhecimento, interação e produção científica e cultural do montanhismo em suas diversas modalidades.

O público-alvo abrange desde quem está começando até quem já trabalha na área. A idealizadora da Jornada, Fernanda May, diz que a programação, extensa, foi pensada para a comunidade de praticantes de esportes de montanha de maneira geral.

“O evento é completo, com palestras, aulas e workshops para todos os gostos e níveis de conhecimento diferenciados. Quem já é guia, por exemplo, terá a chance de se atualizar em primeiros socorros, entre outros conhecimentos; empresários vão poder trocar informações sobre novos circuitos e opções que podem ser oferecidos, além do networking; e quem está começando vai ter a chance de se preparar para situações adversas, a lidar com equipamentos de segurança e a produzir impacto mínimo na natureza”, diz May, que é médica e pratica montanhismo há 24 anos.

Já Pedro Lacaz Amaral, co-organizador do evento, destaca a chegada de novos praticantes à cena do montanhismo em todo o Brasil: “O esporte de aventura recebeu muitos novos participantes, muita gente querendo descobrir novas atividades depois de ficar tanto tempo em isolamento, e o mercado, seus profissionais e atletas amadores precisam se atualizar e se informar. É por isso que, nesta edição, teremos uma programação ainda mais completa, com encontros dedicados a debater o que há de mais novo em termos de condicionamento físico e mental, equipamentos e tecnologia e, ainda, habilidades e conhecimento”, diz Pedro Lacaz Amaral, co-organizador do evento.

O evento contempla esportes como bike, escalada, trail running, e trekking, com todas as atualizações dessas áreas, e faz um mergulho também por locais: Rio de Janeiro, Minas Gerais e Patagônia, muito procurados por esportistas profissionais e amadores, ganham destaque. Além disso, a jornada traz o que há de mais novo em termos de equipamentos e segurança, mínimo Impacto e saúde, além de painéis dedicados ao aprofundamento e à análise de artigos e dados científicos. Por fim, a parte cultural do evento trará exposições fotográficas, de mapas e literatura de montanha.

Programação tem especialistas em Bikepacking, Escalada, Trail Running e Trekking 

Uma das atrações é a palestra do especialista em esporte de aventura Guilherme Cavallari. Autor de 19 livros na área e coautor de uma série de filmes documentários, ele vai compartilhar sua experiência com longas viagens de bicicleta por lugares como as serras gaúcha, catarinense e da Mantiqueira, Patagônia e Mongólia em um encontro sobre Bikepacking.

Para Cavallari, o isolamento social afetou a saúde mental das pessoas de maneira muito significativa, e isso está levando muita gente a buscar refúgio e cura no encontro com a natureza.

“Na minha palestra falo de experiências de estar na natureza, de estar na aventura. Falo como foi a travessia que fiz na Mongólia de bicicleta, mas também da experiência da preparação, que é muito importante para quem quer começar a fazer viagens longas.”

Cavallari afirma que a Jornada de Montanhismo é de suma importância para promover a cultura de montanha no Brasil: “Estar na natureza é uma maneira de cuidar da saúde física e mental, mas também uma forma de proteger o meio ambiente. Ninguém cuida daquilo que não conhece, e precisamos que mais gente conheça cada vez mais. Promover a cultura de aventura é fundamental, e esse é um dos papéis da jornada.”

Serviço:

III Jornada Cultural e Científica de Montanhismo Gear Tips

1 a 3 de abril de 2022
Local: Hotel Fazenda Villa Forte, em Engenheiro Passos (RJ)
Inscrições: https://jornadademontanhismo.com.br/inscricao

Palestrantes: André Fatini, Antônio Calvo, Branca Franco, Cláudio Machado, Ed Padilha, Fábio “Tchê” Moralles, Freddy Duclerc, Gabriel Tarso, Guilherme Cavallari, Isadora Martins, Luiz Aragão, Luiz Gadetto, Marcela Tenório, Maria Tereza Ulbrich, Pedro Hauck, Pedro Lacaz Amaral e Ricardo Pina.
Site do Evento:

https://jornadademontanhismo.com.br

Vídeo Institucional da 2a Jornada:
https://www.youtube.com/watch?v=UwHMLCQ_reo

Fotos da 2a Jornada:

II JORNADA

Entenda as diferenças entre corrida de trilha e corrida de montanha

Com a unificação dos mundiais de trail running e corrida de montanha em apenas um evento, que está marcado para novembro deste ano que que já foi assunto de reportagem da Revista Trail Running, voltaram à tona as discussões sobre a diferenciação entre corrida de trilha e corrida de montanha, já que o mundial terá provas das duas modalidades.

A recé-fundada Associação Brasileira de Corrida em Trilha (ABCT) publicou um conteúdo explicando as diferenças e as características de cada modalidade.

Características da Corrida em Trilha

De acordo com a ABCT, Trail, que significa trilha em inglês, é uma competição pedestre aberta a todos, em ambiente natural, com no máximo 20% do total dos caminhos pavimentados ou calçados. A extensão dos percursos pode varias de curtas distâncias, chegando a provas de ultramaratona com mais de 300 km, por terrenos dos mais variáveis, como florestas, montanhas, bosques, praias, campos, desertos, entre outros, muitas vezes incluindo grandes ganhos e perdas de elevação, o que caracteriza o conceito de altimetria.

Confira, abaixo, alguns destaques do World Trail Running Championships 2019

Características da Corrida em Montanha

São corridas que ocorrem em ambientes off-road, assim como o trail running. Em princípio, são duas formas básicas de corrida em montanha: uphill e uphill & downhill (misto de subidas e descidas). Quando é apenas uphill, a corrida é ponto a ponto (largada em um local e chegada em outro); quando é uphill & downhill, a corrida pode ser ponto a ponto, ter percurso com volta, ou até mesmo bate-volta. Como no trail, menos de 20% do trajeto pode ser em estrada calçada ou asfaltada e o ponto mais alto não pode ultrapassar 3000m de altitude. O percurso deve ser o máximo corrível, não possuindo trechos perigosos nas subidas, nem nas descidas e, quando não puderem ser evitados, precisam ser muito bem demarcados e controlados, assim como todo o percurso. Outra diferença para o trail, é que a inclinação média não pode ultrapassar 20% a cada 500m de percurso, ou seja, não pode ter mais de 100m de ganho de elevação a cada 500m. As competições oficiais têm distâncias de até 42 km e os atletas recebem hidratação ao longo do percurso.

Outra diferença da montanha pro trail é a permissão de equipamentos. Na corrida de montanha é permitido utilizar tênis, short, bermuda ou calça de compressão, camiseta, corta-vento, bonés ou viseira, bandana e relógio GPS. Não é permitido o uso de trekking poles (bastões) e mochila de hidratação.

Confira, abaixo, os destaque da Copa do Mundo de Corrida de Montanha de 2019

Órgãos reguladores do trail e montanha: O órgão regulador é o World Athletics; o ente gestor das corridas de montanha é a WMRA – World Mountain Running Association e das corridas em trilha é a ITRA (International Trail Running Association); o órgão regulador nacional é a CBAt – Confederação Brasileira de Atletismo, com as federações estaduais como reguladoras em nível de estado.