Doping

Créditos de foto: Jordi Saragossa

Josepg Gray faz duras críticas a Quartz Program ITRA. Empresa que faz o controle de dopagem utilizados nos pricipais eventos de trail running no mundo.

Na penúltima etapa da Golden Trail Series que aconteceu em Pikes Peak, o corredor norteamericano que foi terceiro colocado, se recusou a realizar o teste de doping.

No site da GTS, podemos ver as regras “Como condição de participação, cada participante concorda em:

2.1 Fornecer dentro da estrutura em uso pela Organização, qualquer histórico médico e/ou lista de condições médicas, bem como o uso de tratamentos regulares, medicamentos (com e sem receita) ou suplementos alimentares dentro de 30 dias antes do início da competição .

2.2 Aceitar, no âmbito desta Política de Saúde, responder a qualquer solicitação de reunião no local ou remotamente (telefone ou videoconferência) dentro de 30 dias antes do início da competição para tratar de questões médicas e até 15 dias após a competição para tratar de quaisquer problemas de saúde ou resultados de testes relacionados à saúde e segurança.

2.3 Cumprir a lista de proibidos publicada anualmente pela Agência Mundial Antidoping (WADA) e não usar quaisquer substâncias incluídas no Programa de Monitoramento da WADA.

2.4 Como componente de monitoramento de saúde e segurança, aceitar no âmbito desta Política de Saúde todas as amostras de urina e/ou sangue e/ou capilar e/ou saliva dentro de 30 dias antes do início da competição e até 15 dias após a competição garantir o cumprimento desta Política de Saúde sabendo que todos os custos de amostras e análises permanecem integralmente custeados pela Organização.

2.5 Como componente de proteção da saúde e segurança da competição, o seguinte não é permitido 24 horas antes e durante a competição (e pode ser avaliado por amostras de urina e/ou sangue e/ou capilar e/ou saliva)

2.5.1 Todos os analgésicos (exceto paracetamol/acetaminofeno), incluindo Tramadol

2.5.2 Anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) independentemente do modo de administração

2.5.3 Canabidiols (CBD) por razões de segurança.

2.6 Proibições adicionais de saúde e segurança

2.6.1 Dentro de 30 dias antes do início da competição e durante a competição Infusão intravenosa de ferro

2.6.2 Dentro de 7 dias antes do início da competição e durante a competição

Infusão intravenosa (a menos que associada a uma intervenção médica definida e com notificação de evento e revisão)

2.6.3 Hormônios de síntese da tireoide, exceto em caso de remoção parcial ou total da tireoide ou hipotireoidismo de origem médica

Embora a grande maioria dos corredores tenha aceitado essas regras do jogo, que também foram aplicadas no UTMB Mont-Blanc ou nos Campeonatos Mundiais de Trail Running, não é a primeira vez que atletas de alto nível, especialmente dos Estados Unidos, criticam o programa.

Joseph – “Minha decisão de não participar dos testes do Programa de Quartzo Pikes Peak é baseada na minha opinião de que este não é um programa de testes antidoping suficiente em comparação com os da Agência dos Estados Unidos (USADA) ou da Agência Mundial (WADA), que eu cumprir.
Na minha opinião, nosso esporte precisa de testes reais, não de uma empresa que se apresenta como tal e serve apenas como “exame de saúde”. O Programa Quartz está arruinando eventos clássicos em todo o mundo, enganando os diretores de corrida para que aceitem seu programa de “saúde”, distraindo-os dos testes de drogas reais que são necessários. Você sabia que se um atleta testar positivo para uma substância proibida neste chamado “exame de saúde” ele não seria banido ou suspenso da competição? Eu poderia competir em uma corrida diferente no mesmo fim de semana. Este sistema não nos protege como atletas. Ele não está preservando nosso esporte e com certeza não está defendendo um esporte verdadeiramente limpo.

A título de esclarecimento, cumpro integralmente todas as regras e regulamentos do evento Pikes Peak.

Como sempre, estou aberto a testes da USADA e da WADA (o padrão ouro para antidoping). Também me ofereci para fornecer evidências de que não tenho e nunca tive uma AUT [Autorização de Uso Terapêutico].
Também estou aberto a postar meu histórico médico mostrando isso, além de não usar nenhum medicamento anti-inflamatório por mais de 1 ano. Tenho algumas preocupações em relação ao histórico de doping da liderança da Golden Trail Series e conflitos de interesse, pois este programa de saúde é financiado
por uma conhecida marca de calçados. Diretores de corrida, você pode fazer melhor e pode preservar nosso esporte e manter os padrões altos usando seu dinheiro arduamente ganho com as organizações
antidoping mais respeitadas (USADA e WADA). Levante-se por algo ou caia por qualquer coisa.

Entendo que isso possa parecer ruim, mas é importante para mim que nosso esporte progrida com melhores protocolos para protegê-lo contra doping e conflitos de interesse que podem corromper nosso esporte.”