A incrível história da ultramaratonista rarámuri Lorena Ramírez

O que você precisa para correr e performar em uma ultra trail? A maioria dos corredores vai responder que precisa de um (ou mais) bom par de tênis, com bastante amortecimento; uma confortável mochila de hidratação; roupas e acessórios de excelente qualidade; géis de carboidrato e suplementos caros, entre outros itens que requerem bastante tecnologia.

O filme “Lorena, la de pies ligeros”, na Netflix, conta a história de uma corredora mexicana que não precisa de nada disso. Apenas com suas rústicas sandálias e um condicionamento físico de dar inveja a muitos atletas, ela conseguiu vencer e conquistar outros excelentes resultados em famosas e duras ultramaratonas.

Lorena, que atualmente tem 21 anos, vive no estado de Chihuahua, no norte do México e pertence ao povo Rarámuri, mais conhecido como Tarahumaras, que ficaram famosos com o livro “Nascidos para correr”. O curta metragem, de apenas 28 minutos, narra um pouco da história dessa tímida corredora, que venceu a Ultramaratona Guachochi, em 2017, correndo seus 100 quilômetros usando sandálias e trajes tradicionais.

A jovem viajou para a Espanha, em 2018, para disputar a Tenerife Bluetrail e ficou em 3º lugar, depois de correr 102 quilômetros, também com suas sandálias.

Acesse aqui para assistir na Netflix.

Assista ao trailer do filme:

A história por trás da foto: “La bruja de Leadville”

Quem leu o best seller “Nascido para correr”, de Cristopher McDougall se lembra da incrível história dessa lenda das ultramaratonas com os também lendários corredores tarahumaras. Os índios mexicanos fizeram história, quebrando vários recordes na icônica Leadville 100 de 1993, prova de 100 milhas disputada no Colorado – EUA, desde 1983.

Depois do feito dos Tarahumaras, com suas tradicionais sandálias huaraches, muitas pessoas indagaram ao organizador da prova, Ken Chlouber, sobre quem seria capaz de vencer os mexicanos. Ken prontamente citou o nome de Ann Trason e, em 1994, a batalha de “La bruja de Leadville” com os índios se concretizou, vindo a se tornar uma das grandes histórias da ultramaratona mundial. Se você quiser saber como essa batalha épica terminou, pegue o livro “Born to run”, você não vai se arrepender!