WTR - serra do mar

A Prova

WTR Serra do Mar é uma prova de Trail Running, de percurso circular, com início e fim no mesmo local e que será realizada no dia 27 de novembro de 2021 na região de Araras, Petrópolis-RJ, mais precisamente na região do Vale das Videiras.

Modalidades

A Prova contará com as seguintes Modalidades: 

  • WTR 60km
  • WTR Sky Marathon 32k Pedra do Cuca
  • WTR 16km
  • WTR 8km
KTR - Ilhabela

As provas da KTR são conhecidas e famosas por acontecerem em lugares super desafiadores, com trilhas técnicas e um visual que recompensa todo o esforço! A KTR ILHABELA além de tudo isso acontece em uma das cidades mais charmosas, belas e preparadas para receber todos da melhor forma possível. Poder passar um final de semana respirando esporte e natureza com seus amigos e família com todo o visual da linda Ilhabela, é um privilégio para todos os atletas que estarão presentes na última etapa da KTR. A cidade da Ilhabela tem uma estrutura turística fantásticas para receber os atletas e acompanhantes da melhor forma possível.

Apesar da última etapa da KTR não acontecer na Serra da Mantiqueira, não se engane achando que não encontrará uma prova com trilhas desafiadoras, montanhas duríssimas e trilhas muito técnicas. A KTR Ilhabela tem grande parte do percurso em área de parque, o PARQUE ESTADUAL DE ILHABELA. O parque é um refúgio de vida selvagem em meio à Mata Atlântica muito preservada. São trilhas, cachoeiras, praias e muita natureza exuberante.

La Mision sombra

PERCURSOS

A trilha transcorre pela crista das montanhas, subindo e descendo alguns dos pontos mais altos do Brasil, como o Capim Amarelo (2491m) e a Pedra da Mina (2798m), 4º. ponto mais alto do país!!!

AUTOSSUFICIÊNCIA

É a principal característica da prova. O atleta deve levar consigo além dos equipamentos obrigatórios, hidratação e alimentação.

EQUIPAMENTOS OBRIGATÓRIOS

A montanha é um ambiente imprevisível e para que todos desfrutem da EXPERIÊNCIA de ser um MISIONERO o item SEGURANÇA é fator primordial!

CRONOGRAMA

Durante 3 dias você viverá a inesquecível experiência La Mision Brasil com direito a um exclusivo passeio de trem e a La Mision Kids.

KTR - Serra Fina

Em 2014 foi realizada em Passa Quatro, MG, a primeira prova do circuito KTR.

Local mais inóspito em que acontece uma etapa do circuito KTR, a Serra Fina é um lugar mágico e muito especial, sendo sua travessia muito conhecida e roteiro de montanhistas e atletas de corrida de todo o Brasil.

Em 2021 as largadas de todas as provas acontecerão na cidade de Passa Quatro. Serão 5 percursos, 2 inéditos. Os novos percursos, Longa com 36k e a KTR Ultra 50k, voltarão a passar no Capim Amarelo. O percurso KTR com 50k, que tem quase 3700m de ganho positivo, além de passar pelo famoso Capim Amarelo, passará também no Pico da Pedra da Mina, fazendo a descido pela trilha desafiadora do “paiolimho”.

As KTR Light e Curta, percorrerão trilhas e estradas próximas a FLONA, Floresta Nacional de Passa Quatro, enquanto a KTR Média passará pelo Campo do Muro com mais de 2000 metros de altitude.

WTR - Arraial do Cabo

A Prova 

WTR Arraial do Cabo é uma prova de Trail Running, de percurso circular, com início e fim no mesmo local e que será realizada no dia 15 de maio de 2021 na cidade de Arraial do Cabo, região dos Lagos, RJ.

Modalidades

A Prova contará com as seguintes Modalidades: 

  • WTR 32km – Solo
  • WTR 21km – Solo
  • WTR 21km – Dupla (10,5km para cada integrante da equipe)
  • WTR 6km – Canicross
  • WTR Kids
KTR - Ultra Canastra

A XKR Sports e a Brou se juntaram para trazer um dos maiores e mais esperados desafios de trail run do Brasil: a Ultra KTR Serra da Canastra. São 3 dias de competição e 2 opções de percursos, 50k e 100k, para os amantes de corrida de montanha aproveitarem um dos lugares mais bonitos e desafiadores do país.

Esse é um desafio all inclusive, ou seja, além da inscrição, estão incluídas a alimentação (café da manhã, almoço e jantar) e a área de acampamento.

As provas serão divididas em três etapas e terão como ponto de partida o Recanto Ecológico Vale do Céu, localizado em Delfinópolis/MG. É nesta aconchegante pousada que serão instalados os acampamentos, feitas as retiradas de kits, servidas as refeições e dada a largada das competições.

Então, vai aceitar esse desafio? São apenas 200 vagas. Não fique para atrás, garanta a sua o quanto antes.

KTR campos

As provas da KTR são conhecidas e famosas por acontecerem em lugares super desafiadores, com trilhas técnicas e um visual que recompensa todo o esforço! A KTR Campos do Jordão além de tudo isso tem largada e chegada mais bonitas do Brasil. Poder passar o dia na Arena da KTR com seus amigos e família com todo o visual do Vale do Paraíba no horizonte e toda a estrutura de foodtrucks montada especialmente para os atletas, já valeria a inscrição.

Outra característica importante das provas KTR, é que por acontecerem em lugares muitas vezes inóspitos e de difícil acesso, as provas têm a característica de serem sempre autossuficientes, ou seja demandam equipamentos obrigatórios que são fundamentais para a segurança dos atletas e sua performance.

Camelbak Mountain Race
A CamelBak Mountain Race está com uma nova etapa, a Praias Selvagens!
Ela acontecerá no dia 07/11/2020, em Grumari – Rio de Janeiro – RJ.

A prova contará com percursos aproximados de:  7,5km , 12km , e 18km, onde os atletas terão a oportunidade de passar por diferentes tipos de terreno, com aclives, declives, areia, estrada de chão, asfalto e paralelepípedo. Ou seja, todo tipo de terreno que uma prova trail pode proporcionar.

Para os que estão iniciando no Trail Running, nossa sugestão é o percurso de 7,5 km, que está perfeito para quem não tem muita experiência em corridas de montanha. Uma distância curta, porém, cheia de desafios.

Para quem já corre Trail Running o percurso de 12 km será a escolha certa! Apesar da pouca distância a prova está “dura”, capaz de desafiar desde os praticantes intermediários até os atletas mais experientes.

Já o percurso de 18 km é ideal para quem já tem experiência e curte provas mais longas.

Data: 07/11/2020
Local: Grumari Beach Garden – Av. Estado da Guanabara, lote 12| Praia de Grumari | Rio de Janeiro | RJ |
Percursos aproximados: 7,5 km, 12 km e 21 km

ITRA

A International Trail running Association (ITRA) está procurando membros para seu Comitê Diretor, agora renomeado para Equipe de Liderança, e você pode ser um deles. Claro, não espere grandes recompensas em troca de fazer parte de uma das associações mais influentes do mundo no que diz respeito à trilha. O seu novo presidente, Bob Crowley, já avisa que “é uma oportunidade de agregar voluntários com as características que o ITRA necessita e que queiram dedicar o tempo necessário. Isso inclui: recrutamento de membros, vendas, marketing, finanças e tecnologia. Há vagas para corredores amadores, elites e organizadores”. Se você está interessado no cargo ou quer saber o que está por trás dessas vagas, continue lendo.

Em 7 de abril, em total confinamento, uma notícia completamente inesperada apareceu. Michel Poletti, fundador do Ultra trail du Mont Blanc e um dos organizadores mais influentes do planeta, estava deixando a presidência do ITRA por motivos pessoais. Apenas uma semana depois, o americano Bob Crowley, membro da Associação desde 2019, foi anunciado como presidente para surpresa de muitos, por ser um personagem relativamente desconhecido no mundo. A notícia foi, para dizer o mínimo, surpreendente. O ITRA foi um compromisso pessoal de Michel Poletti no início de 2010 e nasceu, em parte, em resposta à expansão de outras federações como a Federação Internacional de Skyrunning (ISF), que em 2012 teve uma reunião importante durante a Transvulcânia e tentou entrar na ultradistância. Depois de uma reunião com os dirigentes da ISF, Poletti percebeu que sua carreira, que estava em plena expansão, precisava de uma associação federativa para regular o esporte e ajudar a impor sua visão da trilha. Foi assim que ITRA nasceu em 1º de agosto de 2013, com Michel e sua esposa Catherine no comitê permanente junto com outras 12 pessoas, principalmente da França, Suíça e Itália.

De acordo com os estatutos da ITRA, se o cargo de um membro eleito do Comitê Diretor ficar vago nos primeiros dois anos do mandato (de 4 anos), a próxima Assembleia Geral elegerá um substituto para essas pessoas até as eleições seguintes (organizadas em 2023). Ao longo desses dois anos (desde 2019), ocorreram as seguintes saídas:

• Dois membros permanentes – Michel Poletti e Jean-Marc García

• Dois membros populares em execução – Roman Sopka e Laurent Leloup

• Um membro atleta de elite – Nathalie Mauclair

• Um membro organizador – Fernando González Díaz

Estes, então, serão os cargos que serão eleitos na próxima Assembleia do ITRA. Uma das saídas mais significativas é a de Fernando González, organizador da Transgrancaria espanhola. Esta prova anunciou no início de 2020 a sua inclusão no Spartan Trail World Championships e, com toda a probabilidade, deixará de fazer parte do Ultratrail World Tour, o grande circuito internacional que o ITRA apoia. Fernando, membro da associação desde a sua fundação, anunciou a sua demissão no passado mês de Maio em carta aberta.

Qualquer membro do ITRA pode apresentar sua candidatura antes de 31 de outubro

Quem pode se candidatar a essas vagas? De acordo com os estatutos, qualquer membro do ITRA com anuidade em dia pode candidatar-se ao cargo que lhe corresponde. Sua associação ao ITRA deve estar ativa durante o período eleitoral e todo o seu mandato. Também é obrigatório falar inglês para se inscrever. Os interessados devem fazer o download deste formulário e enviá-lo para eleiçõ[email protected] (eleiçõ[email protected]) com o assunto “Candidatura ao Comitê Gestor” até 31 de outubro.

A assembleia será realizada no sábado, 7 de novembro, por meio de uma plataforma online e, posteriormente, o Comitê Gestor, composto por 17 membros, fará a escolha dos candidatos. A ITRA passou em apenas 7 anos de uma associação relativamente pequena, para competir em termos de poder e magnitude com federações bem mais antigas, como a já mencionada ISF ou a World Mountain Running Association. Seu vínculo com a IAAF e, acima de tudo, seu exaustivo Ranking ITRA, tornaram-no uma referência no mundo da corrida em trilha.

Fonte: https://runedia.mundodeportivo.com/amp/noticia/1543/la-itra-busca-nuevos-miembros-para-el-comite-directivo-y-tu-podrias-ser-uno-de-ellos/

Na trilha da ciência

Você já sentiu dificuldade de fazer uma descida muito longa?

Você já sentiu dor articular ou muscular descendo?

Você já se sentiu incapaz de manter o ritmo no plano após uma descida?


Se você respondeu “SIM” para qualquer uma dessas perguntas, você deveria pensar em economia de corrida.

Economia de corrida nada mais é do que correr (no caso, na descida) com o mínimo gasto energético.

Descidas provocam muita microlesão na musculatura, principalmente na parte da frente da sua coxa, portanto é fundamental que você tenha o menor desgaste possível nessas sessões da sua prova.

(Tente lembrar da última descida realmente longa que você pegou, agora tente recordar como você se movimentou nela e como se sentiu…)

Pensando nisso, existem algumas estratégias para evitar ou postergar a fadiga gerada pelas descidas. Uma das estratégias mais conhecidas e utilizadas é alternar a forma como você desce de forma pré determinada, algo como 10 passos ou 30s com antepé, 10 passos ou 30s com calcanhar (quanto mais longa a descida, mais essa técnica é utilizada). Desta forma, teoricamente, você mudando o padrão de passada, muda o recrutamento muscular e consequentemente não tem tanta fadiga generalizada de nenhuma estrutura.  Mas, será que isso ajuda, na prática?

Para responder algo tão determinante no sucesso das provas, o maior grupo de pesquisadores de trail do mundo tentou buscar uma resposta. E, não foram com voluntários aleatórios, foi feita a pesquisa com o top team da salomon, alguns dos melhores corredores do mundo.

Sendo bem sucinto, eles compararam os indivíduos descendo de forma pré determinada e de forma aleatória, ou seja, que cada um descesse da forma que quisesse, sem manter um padrão fixo de passos.

O resultado foi que a mudança pré determinada de forma constante não teve a capacidade de minimizar a fadiga. O estudo sugere que não é a capacidade de alternar a pisada que minimiza a fadiga, mas sim a capacidade de se ADAPTAR ao terreno.

Como aplico isso na prática?

De forma prática, a melhor maneira de minimizar a fadiga em uma descida (quanto mais longa, maior a diferença) é que você tenha um repertório motor extenso, tenha um auto conhecimento bem grande e vivências na maior variedade possível de trilhas, inclinações, terrenos etc…

Desta forma, você vai conseguir saber qual o tipo de pisada utilizar em cada terreno, bem como cada variação de inclinação desse terreno.

Isso é treinável?

Sim, muito! Pegue várias pequenas descidas que você conhece (asfalto, grama, trilha…) faça uma descida com um padrão de pisada, depois teste outro padrão…Com o tempo vá aumentando o tamanho  ou a inclinação dessas descidas e continue testando, quanto mais vivências, melhor…você vai observar que, em determinado momento, você vai estar em um treino (ou prova) e se adaptando naturalmente ao terreno e não mais “brigando” contra. Esse é o sinal que você está economizando energia, um fator determinante no sucesso da sua prova. Quanto mais longa for a prova, mais importante esses pequenos detalhes fazem diferença.

Não é o mais fortenem o mais resistentee, mas o que melhor se adapta”

Ficou com alguma dúvida? Manda uma mensagem inbox no @CristianoFetter_